Topo

Futebol


Em 1995, Romário tinha o maior salário do Brasil. Hoje, Pato é o número 1

Reuters
Romário era o mais bem pago do futebol brasileiro há 20 anos: R$ 62,5 mil mensais Imagem: Reuters

Do UOL, em São Paulo

2015-02-09T06:00:00

09/02/2015 06h00

Romário no auge da forma vale menos que Alexandre Pato atualmente. Pode parecer mentira, mas a comparação cruel entre os maiores salários do futebol brasileiro em 20 anos mostra como o mercado local valoriza, e muito, os jogadores de hoje em dia. 

Em 1995, o Baixinho tinha o maior salário do futebol no Brasil. Ganhava R$ 62,5 mil por mês na época. Isso depois de ser eleito o melhor do mundo um ano antes, quando carregou a seleção na conquista do tetra nos Estados Unidos. Túlio, campeão nacional naquela temporada, e Edmundo, também em grande fase, completavam o pódio. 

Atualmente, o maior salário do futebol brasileiro é o de Alexandre Pato, emprestado ao São Paulo pelo Corinthians. O atacante fatura R$ 800 mil, valor semelhante ao de Fred, no Fluminense. Reserva no time de Muricy Ramalho, Caso não levássemos em conta a inflação dos últimos 20 anos e as oscilações da moeda, Pato ganharia 12 vezes mais do que Romário em 1995. Um mês do são-paulino equivaleria a um ano de Romário, que mesmo com os valores corrigidos pela inflação continuaria em desvantagem: o herói do tetra passaria para cerca de R$ 320 mil.

O salário mínimo aplicado a partir de 1º de maio de 1995 era de R$ 100,00 (Lei 9.032/1995). Em 1º de janeiro de 2015 o mínimo passou a valer R$ 788,00 (Decreto 8.381/2014). O salário mínimo bruto de 2015 é quase oito vezes maior que o mínimo de 1995. Seguindo essa matemática simples, caso o salário de Romário também fosse valorizado em 7,88 vezes como o salário mínimo, chegaria ao valor de R$ 512.200,00, ainda bem inferior aos R$ 800 mil recebidos por Pato.

Mais do que isso, um mês salário bruto de Pato também seria suficiente para bancar, com bastante folga, os 14 jogadores mais bem pagos de 20 anos atrás, incluindo nomes como Djalminha, Marcelinho, Renato Gaúcho e Zetti. Confira abaixo como era o mercado brasileiro em 1995.

Os maiores salários de 1995

  • Reuters

    Romário (Flamengo)

    R$ 62,5 mil

  • Ormuzd Alves/Folhapress

    Túlio (Botafogo)

    R$ 50 mil

  • Ormuzd Alves/Folhapress

    Edmundo (Palmeiras)

    R$ 45 mil

  • Antônio Gaudério/Folha Imagem

    Branco (Flamengo)

    R$ 45 mil

  • Paulo Giandalia/Folha Imagem

    Djalminha (Guarani)

    R$ 43,3 mil

  • Sérgio Borges/Agência O Globo

    Renato Gaúcho (Fluminense)

    R$ 42,8 mil

  • Renato Ferrini/Associated Press

    Amoroso (Guarani)

    R$ 39,1 mil

  • Moacyr Lopes Júnior/Folha Imagem

    Viola (Corinthians)

    R$ 35 mil

  • Folhapress

    Marcelinho (Corinthians)

    R$ 30 mil

  • EFE/Arquivo

    Sávio (Flamengo)

    R$ 30 mil

  • Divulgação

    Ricardo Rocha (Vasco)

    R$ 30 mil

  • Reprodução/Panini

    Luiz Henrique (Fluminense)

    R$ 30 mil

  • Folha Imagem/Arquivo

    Antônio Carlos (Palmeiras)

    R$ 25 mil

  • Junior Lago/UOL

    Zetti (São Paulo)

    R$ 25 mil

Mais Futebol