Negócios milionários! Clubes portugueses fazem fortunas com os brasileiros

Luís Aguilar

Do UOL, em São Paulo

A transferência de Danilo do Porto para o Real Madrid, por 31,5 milhões de euros, é o mais recente grande negócio do futebol português a envolver jogadores brasileiros. O lateral tinha sido contratado ao Santos, em 2011, por 17,8 milhões de euros. O Porto conseguiu valorizar o jogador de 22 anos em 14,3 milhões ao fim de cinco temporadas. Mas há casos de inflação mais rápida.

Sem possibilidade financeira de ir ao mercado em busca de atletas feitos, Porto e Benfica procuram jovens talentos e encaixam verbas milionárias, com especial foco na América do Sul. O Brasil continua a ser o mercado preferido dos clubes portugueses. Esta temporada foram inscritos 109 brasileiros nas várias equipes da 1ª Liga. Uma média de seis por clube, distribuídos pelos 18 times do Campeonato Português. Alguns deles transformam-se em negócios de grande dimensão.

Anderson, atualmente no Internacional, chegou ao Porto ainda com 16 anos, em 2005. Os dragões pagaram 5 milhões de euros ao Grémio e encaixaram 30 milhões, passadas duas épocas, quando o médio saiu para o Manchester United. A influência do empresário Jorge Mendes, representante do jogador, foi fundamental para o acerto.

O negócio mais prolífico de todos a envolver jogadores brasileiros aconteceu com Hulk. O dianteiro do Zenit, agora com 28 anos, chegou ao Porto em 2008, vindo dos japoneses do Tokyo Verdy, mas já antes tinha passado pelo futebol português, na equipe de juniores do Vilanovense, clube das divisões secundárias. Logo nessa altura ficou no radar do Porto. Os dragões assistiram à sua evolução e foram ao mercado. O passe de Hulk foi comprado em diferentes frações e totalizou 19 milhões de euros. No início, a torcida mostrou-se cética por ver o clube gastar tanto dinheiro num brasileiro desconhecido que jogava no incipiente futebol japonês, mas cedo perceberam tratar-se de um talento com enorme margem de progressão.

Em cinco temporadas, Givanildo Vieira de Souza – conhecido por Hulk – conquistou três campeonatos portugueses, uma Europa League, três Copas de Portugal e outras tantas Supercopas. Tornou-se na mais cara contratação de sempre gerada pelo futebol português quando o Zenit pagou 60 milhões de euros. O Porto teve um lucro absoluto de 40 milhões de euros, sendo que os restantes 20 milhões de euros foram distribuídos por um fundo que detinha 15% do passe do jogador, comissões de intermediários, valores de formação e fundo de solidariedade. Jorge Mendes não era o representante de Hulk, mas foi um dos intermediários da transferência.

O Benfica entrou neste modelo de negócio mais tarde. Só conseguiu transformar o investimento estrangeiro em lucros milionários a partir de 2010, com a chegada do treinador Jorge Jesus da qual resultou a valorização de algumas promessas sul-americanas que já estavam no plantel.

Em 2007, David Luiz chegou ao Benfica, vindo do Vitória, com apenas 18 anos. Custou aos cofres dos encarnados 1,5 milhão de euros. Ao fim de cinco temporadas, saiu para o Chelsea por 25 milhões de euros depois de ter ganho um Português e duas Copas da Liga. O Benfica ainda faturou mais 1,3 milhão de euros por direitos de formação nesta pré-temporada quando o zagueiro assinou com o PSG por 50 milhões de euros.

Ramires (ex-Cruzeiro) precisou apenas de uma temporada no Benfica para se valorizar no futebol europeu. O clube de Lisboa pagou 6 milhões por metade do passe e dobrou esse valor quando o jogador assinou pelo Chelsea, em 2010, por 22 milhões de euros. O último grande negócio do Benfica com um jogador nascido no Brasil aconteceu ainda durante a temporada passada quando o passe do hispano-brasileiro Rodrigo foi vendido ao fundo de Peter Lim, o dono do Valencia, por 30 milhões de euros (tinha sido contratado ao Real Madrid, em 2010, por 6 milhões de euros).

Além destas transferências, Benfica e Porto também fazem fortunas com outros jogadores sul-americanos. Os colombianos James Rodriguez (45 milhões de euros) e Falcao (40 milhões de euros) e o argentino Di María (33 milhões de euros) são os maiores exemplos. Antes, em 2007, o luso-brasileiro Pepe trocou o Porto pelo Real Madrid por 30 milhões de euros, noutro negócio intermediado por Jorge Mendes.

Numa altura em que a transferência de Danilo ainda está fresca, já se diz que os merengues também querem levar Alex Sandro. O lateral esquerdo (ex-Santos) assinou pelo Porto em 2011, por 9,6 milhões de euros, e tem vindo a tornar-se um dos defesas mais cobiçados do futebol europeu. Pode ser o brasileiro que se segue em mais um negócio milionário do futebol português. 

Maiores vendas do futebol português, em euros:

Hulk (Brasil): FC Porto - Zenit em 2012, 60 milhões
James Rodriguez (Colômbia): FC Porto – Mónaco, em 2013, 45 milhões
Falcao (Colômbia): FC Porto - Atlético Madrid, em 2011, 40 milhões
Witsel (Bélgica): Benfica – Zenit, em 2012, 40 milhões
Mangala (França): FC Porto – Manchester City, 2014, 40 milhões
Anderson (Brasil): FC Porto - Manchester United, em 2007, 31,5 milhões
Danilo (Brasil): FC Porto - Real Madrid, 2015, 31,5 milhões
Pepe (Brasil/Portugal): FC Porto - Real Madrid, em 2007, 30 milhões
Ricardo Carvalho (Portugal): FC Porto – Chelsea, em 2004, 30 milhões
Fábio Coentrão (Portugal): Benfica para Real Madrid em 2011, 30 milhões
Rodrigo (Brasil/Espanha): Benfica para Valência em 2014, 30 milhões
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos