Dunga corta Oscar e chama Robinho e Casemiro para a Copa América

Do UOL, em São Paulo

Dunga convocou a seleção brasileira para a Copa América, primeira competição oficial depois do vexame da Copa do Mundo de 2014, e surpreendeu ao não chamar Oscar, do Chelsea. Titular da seleção em quase todos os jogos, o meia ficou fora da lista final por lesão e foi substituído por Everton Ribeiro e Douglas Costa.  

"Ele teve uma lesão no último treino do Chelsea. Conversamos com o Mourinho, com o médico do Chelsea. A recuperação será um pouco prolongada, ele não estará nas melhores condições. Achamos melhor ele estar preparado para as eliminatórias, que começam logo depois da Copa América", explicou Dunga. 

No restante da lista, os nomes que mais chamam a atenção são Robinho e Casemiro. O volante venceu a disputa direta com Souza, do São Paulo, muito por conta de seu bom desempenho na Liga dos Campeões pelo Porto. Já o atacante volta a disputar a Copa América aos 31 anos, em alta com a conquista do Paulista, e agora com a responsabilidade de liderar a equipe.

"O Robinho hoje é um jogador muito mais experiente, sabe do papel que ele tem dentro da seleção no momento, vive um grande momento no Santos, assim como em outras épocas. Naquela época [2007] ele era referência, chamou a responsabilidade. Foi um dos artilheiros e teve uma passagem brilhante. Agora é um pouco diferente, vem pela capacidade técnica, mas com uma responsabilidade maior de passar experiência para os mais jovens", disse o treinador.    

Outro ponto importante da convocação é a segunda chance que Dunga dá a alguns nomes que viveram o vexame do 7 a 1. A lista de "herdeiros" da era Felipão tem Jefferson, Marcelo, David Luiz, Thiago Silva, Luiz Gustavo, Fernandinho, Neymar e Willian. A nova oportunidade aos que viveram a maior derrota da história da seleção faz parte da filosofia de Dunga, ele mesmo protagonista de uma reviravolta com a camisa verde-amarela com a conquista do tetra em 1994 após a derrota em 1990.

As escolhas de Dunga chegam à Copa América amparadas pelos resultados. Em oito jogos sob o seu comando, o Brasil venceu oito vezes, passando por rivais de peso como Colômbia, Argentina, França e Chile no caminho. A demonstração de força passou pelo estabelecimento de velhos conhecidos como Neymar, agora capitão do time, e novidades como Diego Tardelli e Roberto Firmino, lançados pelo técnico na atual gestão.

A seleção se apresentará para a disputa da Copa América no dia 1º de junho em Teresópolis, para fazer uma semana de preparação na Granja Comary. No dia 7 de junho, a equipe faz o primeiro amistoso contra o México, no Allianz Parque, em São Paulo. O segundo será diante de Honduras, em 10 de junho, no Beira-Rio, em Porto Alegre.

O Brasil está no Grupo C da Copa América e jogará contra Peru, Colômbia e Venezuela. A estreia será contra o Peru, em 14 de junho, na cidade de Temuco. Dunga e Gilmar Rinaldi, coordenador da seleção, anunciaram também que Clodoaldo, volante campeão da Copa de 1970, será o auxiliar temporário nos amistosos preparatórios. Na Copa América, Mauro Silva, parceiro de Dunga em 1994, ocupará o cargo. 

Confira, abaixo, os principais trechos da entrevista coletiva de Dunga:

Críticas de João Dória Jr. em 2010
"Minha escolha é técnica, dos jogadores. Se ele chamou ou não [de teimoso], não foi o primeiro. E o tempo é senhor da verdade" Leia mais

Programação para quem for à final da Liga dos Campeões
"A programação está feita. Se tivermos jogadores na final da Champions será uma decisão tomada com os times para saber as condições deles. A comissão vai decidir qual será o momento para eles participarem dos treinos na mesma intensidade dos outros. Espero que os dois [Marcelo e Neymar] estejam na final, para chegarem motivados à seleção. Conversamos internamente, mas temos de esperar acontecer e conversar com o clube e jogador" Leia mais

Neymar cresceu após virar capitão
"Assim que o colocamos como capitão, a comissão tinha uma expectativa sobre seu comportamento. Pode ser casual, mas, desde que ele virou capitão, os gols no Barcelona aumentaram. Isso se deve à maturidade que ele vem tendo, tanto na seleção quanto no Barcelona, e sua habilidade de driblar os desafios. Esperamos que ele siga uma referência para os demais jogadores" Leia mais

Seleçao "blindada" na Copa América
"Entendemos que o torcedor gosta de estar perto, temos de respeitar. Quanto a fechar a Granja, é impossível, pelas regras. Para o futuro, vai se observar algo para que tenhamos em algum momento algo mais reservado. Para o bem da seleção, vamos pedir bom senso. Para quem não entende muito: vamos repetir jogadas quatro, cinco vezes, até que dê certo, sem muito rumor. É preciso ter tranquilidade para realizar o trabalho" Leia mais

Jogos no Brasil pela primeira vez após 7 a 1
"É preciso aproveitar a energia do torcedor. Pedir a contribuição para que os jogadores se sintam abraçados como em todas as vezes que jogou em casa. Da nossa parte, é preciso fazer um bom jogo e vencer para que o torcedor fique do nosso lado" Leia mais

7 a 1 não diminuiu respeito pela seleção
"O que aconteceu na Copa é um fato único. Queremos ganhar, a seleção é referência. O futebol brasileiro segue admirado, a camisa da seleção segue respeitada. Você pode ver a importância que a França deu para o jogo contra o Brasil, que o Chile deu. Isso mostra que a seleção é respeitada" Leia mais

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos