Técnico do Chile descarta cortar Vidal: "Não foi um erro tão determinante"

Do UOL, em São Paulo

  • Felipe Fredes/Agencia Uno/AGIF

    Carro de Vidal ficou destruído depois do acidente

    Carro de Vidal ficou destruído depois do acidente

Arturo Vidal não deve ser cortado da seleção chilena depois da prisão por causa de um acidente em que se envolveu na última terça-feira (16), próximo a Santiago, capital do Chile. Quem diz isso é o técnico Jorge Sampaoli.

"A medida é procurar ver como ele está e fazer com que ele saiba que para nós é um jogador muito importante. Ele cometeu um erro que não é tão determinante para cortá-lo", afirmou Sampaoli. "Ele sempre teve um comportamento muito bom. Cometeu um erro. Há um monte de coisas a serem colocadas na balança".

O treinador do Chile negou ter consultado os jogadores sobre a decisão de cortar ou não Vidal e afirmou que o passado do meia, que jogou a Copa do Mundo com uma lesão no joelho, precisa ser levado em conta.

"Sempre valorizo os momentos em que Vidal colocou seu futuro em risco pela seleção. Não me parece certo cortar alguém porque cometeu um erro".

Sampaoli também negou que haja um favorecimento a Vidal. "Há situações pontuais em que se toma diferentes medidas em diferentes casos. Não tem a ver com o fato de ser Arturo (Vidal)".

"Vão começar um monte de teorias daqui em diante. Se o Chile não for campeão, será pelo funcionamento da equipe. Isso que aconteceu não afará em nada o que vem sendo feito até agora", completou Sampaoli, que afirmou confiar em sua equipe e disse esperar que o caso fortaleça o grupo.

O acidente aconteceu na noite de terça-feira, a cerca de 25km de Santiago. Vidal, que dirigia uma Ferrari, se envolveu em um acidente entorno do hotel Monticcello, onde deveria se apresentar à seleção chilena às 23h, de acordo com o hospital San Luis de Buin. Além dele, outros três carros se envolveram na batida. O jogador teve uma contusão no pescoço e sua mulher fraturou o cotovelo. Exames mostraram que o atacante da Juventus estava embriagado no momento do acidente.

Nesta quarta-feira, a Justiça determinou a apreensão da carteira de motorista de Vidal, que ainda terá que se apresentar mensalmente ao consulado do Chile em Milão, na Itália.

A medida, no entanto, é cautelar. Isso porque, segundo a Justiça chilena, a investigação levará 120 dias e o caso ainda será julgada. Mesmo assim, a punição deve ser branda, já que dificilmente Vidal será enquadrado na Lei Emilia, mais dura contra motoristas flagrados dirigindo embriagados.

No momento do acidente, o bafômetro apontou que Vidal estava com 1,21 gramas de álcool no sangue. No Chile, o máximo permitido é 0,8. Por não ter fugido do local do acidente, não ser reincidente e não haver nenhuma vítima com machucados graves, o meia deve ser beneficiado no caso.

Arte/UOL
Saiba quais são os carros que os craques do seu time têm na garagem

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos