Corinthians será processado por fechamento em massa de lojas oficiais

Dassler Marques*

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    Lojistas afirmam que 50 franquias fecharam nos últimos dois anos

    Lojistas afirmam que 50 franquias fecharam nos últimos dois anos

Desde 2013, quatro lojas Todo Poderoso Timão fecham por mês, em média. Insatisfeitos com o tratamento que recebem como franqueados, os lojistas, formalizados em uma associação com 11 integrantes, darão entrada com um processo na próxima semana. São três alvos: o Corinthians, a empresa SPR Sports e o Banco Plural.

Na avaliação dos lojistas, que calculam a queda de 130 para 80 lojas oficiais no período, a empresa SPR Sports é responsável por uma espécie de boicote, além de negligenciar trabalhos de prospecção, licenciamento e distribuição de produtos. As principais reclamações, com menção a boicote, constam na notificação que será entregue para as partes. Diz o documento:

"(Há) Prática comprovada e notória de prática desleal de mercado em razão de injustificável boicote comercial praticado pelo franqueador SPR INDÚSTRIA DE CONFECÇÃO S/A. Notória concorrência desleal com produtos sendo distribuídos e comercializados livremente a outras lojas concorrentes, deflagrando quebra justificável de contrato. Além de produtos licenciados, lançamentos também estão sendo distribuídos a terceiros, inclusive, para comercialização em sites de varejo".

No último ano, a empresa SPR venceu concorrência e teve renovado o direito de explorar as franquias da Todo Poderoso Timão com o pagamento de aproximadamente R$ 15 milhões ao Corinthians por um vínculo até 2019. Ex-gerente de marketing corintiano e idealizador das lojas, Caio Campos deixou o clube e presta consultoria à SPR. A mesma empresa é responsável por franquias de Vasco, Cruzeiro, São Paulo e Internacional.

Entre as atribuições da franqueadora está prospectar e licenciar produtos com a marca do clube e fazer a distribuição aos lojistas, além de eventualmente fabricar os próprios produtos. Na avaliação dos franqueados, porém, pouco disso tem sido feito desde 2013, quando o negócio era apontado como modelo de sucesso.

"Nós não recebemos a coleção de verão do Corinthians porque as mercadorias estão presas no Porto de Santos", afirma Alessandra Vieira, proprietária da Todo Poderoso Timão do Shopping Frei Caneca, em São Paulo. "Nós temos quatro modelos de camisas retrô desde 2013. Nenhum exemplar novo foi lançado desde então", protesta. A lojista diz ter um prejuízo da ordem de R$ 450 mil. 

O Banco Plural está entre os sócios da SPR. Para fazer parte do negócio, o banco realizou investimento de aproximadamente R$ 200 milhões nas franquias da Todo Poderoso Timão. Os lojistas também questionam o que foi feito com o valor que deveria ser investido nas franquias. 

"Nós tivemos uma reunião com o Andrés (Sanchez) em outubro. Dissemos a ele que não temos produtos novos, que não há investimento em publicidade, em propagandas. Ele ficou nervoso, disse que não sabia de nada, mas ficou de ajudar a gente. Mas isso foi em outubro...", reclama Alessandra Vieira.

A associação afirma ter tentado, por exemplo, contribuir com o Corinthians na associação de membros ao Programa Fiel Torcedor, mas teve solicitações ignoradas no clube. Curiosamente, uma das prioridades do marketing corintiano da atual gestão é justamente aumentar esse programa. 

Em contato com a reportagem, o diretor de marketing do clube, Marcelo Passos, afirmou que ainda estudava melhor o assunto - ele está no cargo há cinco meses. Ele declarou, ainda, disposição em auxiliar os lojistas na relação com a SPR. A empresa não quis dar entrevistas e se manifestou por nota (ver abaixo). A SPR Sports disse que prepara um pacote de medidas para auxílio às franqueadas. 

Confira a resposta da SPR aos lojistas:

Em resposta aos questionamentos levantados pela reportagem a SPR SPORTS faz questão de vir a público explicar alguns pontos importantes sobre a reivindicação de alguns franqueados da rede Poderoso Timão.

Devido a Copa de 2014 o Campeonato Brasileiro foi previamente interrompido para a entrega dos estádios, esse fator aliado ao desvio da atenção da torcida para os jogos das seleções, fizeram com que as vendas das lojas chegassem a cair até 48% durante o período de abril a julho, em comparação com mesmos meses do ano de 2013.

Em 2014 a economia braseira se deteriorou sendo o varejo uns dos setores mais afetados pela grave crise que o país passa. A queda em vendas no setor vem aumentando mês após mês afetando diretamente algumas lojas da rede.

Preocupada com a situação, a SPR continua o processo de apoio financeiro aos franqueados, parcelando suas dívidas e negociando caso a caso. Mesmo não tendo recebido de alguns franqueados, a empresa honrou com todos seus compromissos.

A SPR jamais promoveu uma execução judicial contra nenhum franqueado, mesmo aqueles com maior débito e há mais tempo, pois tentou encontrar uma forma de fazer com que cada loja continuasse aberta e que resolvesse de forma conjunta cada situação.

A empresa está atenta ao momento que o Brasil vem passando. Juntamente com o Corinthians foi criado um pacote de medidas que serão apresentadas em breve aos comitês de franqueados, para que as lojas com dificuldades resolvam seus problemas e voltem a crescer num curto prazo de tempo.

A Poderoso Timão continua sendo o grande case de sucesso mundial de times de futebol, com o maior número de lojas, sendo uma fonte importante de geração de royalties para o clube e atendendo milhares de torcedores com um amplo leque de produtos, para todas as idades e todos os gostos.

Por fim, a SPR e o Corinthians compreendem a situação de cada franqueado e trabalham conjuntamente para a busca de soluções

Confira as solicitações dos lojistas na íntegra, segundo a notificação:

a) Garantia de 100% (cem por cento) das coleções completas EXCLUSIVAS para as lojas Associadas, referente a TODAS as estações (Primavera, Verão, Outono, Inverno);

b) Obrigatoriedade da NOTIFICADA, comercializar e disponibilizar para as lojas dos Associados;

c) Autorização para venda de ingressos em todas as lojas dos Associados.

d) Direito de cada loja levar seus 20 (vinte) melhores clientes para visitas na Arena Corinthians, Centro de Treinamento e Memorial (Amplamente divulgado pelo Corinthians), uma vez por mês;

e) Que as lojas dos Associados tenham representatividade junto a NIKE, para melhores condições nos prazos de pagamento e que a Rede Poderoso Timão seja a primeira a receber os lançamentos e tenham preços diferenciados;

f)  Homologação de novos fornecedores para todas as linhas de produto, criando concorrência de preços, prazos e qualidade;

g) A não entrega do produto no prazo estipulado no calendário de compras da NOTIFICADA deverá acarretar multa de 10% (dez por cento) sobre o valor da compra mais juros de mora de 1% a.d. até a efetiva entrega do produto;

h) Alteração na forma de cobrança dos Royalties para 5% (cinco por cento) do valor de custo da mercadoria, pagos no mesmo prazo das compras.
i) Participação da Associações nas ações de Marketing e prestação de contas, no percentual de 1% sobre o preço de compra, pagos junto com royalties/compras;

j) "Price Protectiion" – Devolução (desconto, abatimento, vale compras) da diferença dos descontos concedidos pela NOTIFICADA abaixo do preço de custo da compra realizada pelos Associados da NOTIFICANTE

k) Renovação pelo Associado deverá ser comunicada por escrito com antecedência mínima de 60 (sessenta) dias. Caso haja recusa da NOTIFICADA em realizar a renovação (exceto em casos de inadimplências dos Associados), a NOTIFICANTE deverá ressarcir ao associado todo valor investido na montagem da loja, compra de ponto, taxa de franquia, estoque e lucros cessantes de 24 meses, com base no levantamento dos últimos 05 (cinco) anos (ou do contrato, caso prazo for inferior a 05 anos), bem como liberar a cláusula de barreira;

l) Exclusividade Territorial – Grande São Paulo e Capital com raio de 5 (cinco) quilômetros, independentemente de ser loja de Shopping ou de rua) e limitado a 01 loja para cada 200 (duzentos) mil habitantes. Preferência para abertura da nova loja deverá ser sempre do Associado mais próximo, sendo obrigatório oferecer para os 03 (três) franqueados mais próximos, respeitando-se a ordem de preferência pela distância;

m) Vendas pela internet – Preço do site não pode ser inferior ao preço da loja física; e o lucro (descontando-se as despesas – inclusive site), deve ser repassado para a unidade Associada mais próxima, não havendo loja no município, o valor poderá ser repassado integralmente para a loja virtual. Os produtos vendidos na loja virtual deverão ser iguais aos da loja física, não podendo haver produtos exclusivos no site;

n) Criação de uma central de repasse, que forneça todo o suporte e consultoria para os Associados interessados em sair da operação, para que tal processo ocorra da melhor forma possível, e sem prejuízo para o Associado ou para o NOTIFICADO e com máxima transparência.

* Colaborou: Ricardo Perrone, do UOL

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos