Botafogo aposta em gandula musa para comandar TV do clube

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Arquivo Pessoal/Divulgação

O Botafogo tem uma charmosa tática para alavancar o projeto de TV do clube, que será lançado nos próximos jogos no canal Premiere. O Alvinegro aposta na gandula Fernanda Maia para liderar a "Botafogo TV". A beldade será a apresentadora do programa, que tem como principal objetivo trazer aos torcedores momentos íntimos e exclusivos do dia a dia dos atletas de General Severiano.

Mais que uma oferta de emprego, a tarefa foi encarada como uma convocação por Fernanda. "O projeto é do Botafogo e me ligaram perguntando. Amei o projeto. Sempre gosto de trabalhar para o clube. Aceitei de cara. Não escondo de ninguém que sou botafoguense. Mesmo no tempo que fiquei na outra emissora [Band], na LanceTV. Até pela forma como fiquei conhecida. Não tem nem como omitir isso. Mas dá para ser jornalista, com informação e opinião, mas sendo imparcial", disse a gandula musa.

Fernanda ganhou elogios em um dos seus últimos projetos, o "Jogo Aberto", na Band, onde fazia o meio campo com craques como Edmundo. A experiência contou para que a gandula mostrasse maior desenvoltura em frente às câmeras. Mas não é a única explicação.

Formada em educação física, ela fez pós-graduação em jornalismo esportivo. Apaixonada pela área, decidiu-se por ingressar em uma faculdade do Rio de Janeiro em busca do diploma da nova profissão.

"Estou muito animada. Sei de todas as dificuldades, mas quero seguir em frente. Comecei na faculdade e já fiz a pós. Já tinha feito outro curso antes e agora, mais experiente, estou aproveitando muito mais. Tenho a prática no meu dia a dia, mas preciso da parte teórica. Está sendo ótimo", comentou.

Com tantas atribuições, Fernanda teve que fazer escolhas difíceis. O tempo não permitiu que ela estudasse, trabalhasse como jornalista e ainda pudesse desfilar no Engenhão. Apesar de ter muito orgulho, ela deixou os tempos de gandula no passado.

"Infelizmente. Na verdade, enquanto estava na Band, consegui conciliar. Mas depois ficou pesado. Sinto muita falta. É uma função prazerosa, pois você faz parte do jogo, sabe? Jogador, treinador, árbitros e gandulas. Esses são os ativos em uma partida de futebol. Eles podem influenciar o jogo. É uma função glamorosa. Tenho muito orgulho. Muita gente debochava", revelou.

"Como vai me incomodar se eu comecei nisso? Continuaria com muito orgulho. Fazemos parte de um trabalho. Cada um tem sua função e não deve se envergonhar de nada. Ainda mais se é feito com dignidade. Tenho orgulho sim", concluiu.

Arquivo pessoal/Divulgação

Após Fernanda, alguns clubes têm demonstrado o desejo de repetir a tática. Outras mulheres bonitas foram colocadas nas extremidades dos gramados para devolver bolas e dar sequência ao jogo. Motivo de orgulho para a primeira gandula musa do futebol brasileiro.

"Fico muito feliz. De alguma forma abri uma porta para a mulherada entrar. Acho interessantíssimo. Meu sonho desde pequena, era fazer história no futebol. E consegui. Hoje existe uma regra por conta da devolução que fiz naquela final do Botafogo. Chamei a atenção, faço parte da história. Realizei um sonho meu. Viver do futebol. Sempre quis isso. Por conta daquele episódio vivo do futebol. Minha renda é disso. Vivo para o futebol", finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos