Jovem lateral do Atlético-MG se vê preparado para fazer história na seleção

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Leo Correa/Mowa Press

    Douglas Santos teve convocações para as seleções principal e sub-23 em 2015

    Douglas Santos teve convocações para as seleções principal e sub-23 em 2015

Nos primeiros dias da pré-temporada de 2015 o lateral esquerdo Douglas Santos falava do distante sonho de disputar os Jogos Olímpicos de 2016. Na época, com apenas cinco meses de Atlético-MG e somente 19 jogos, apesar de titular na vitoriosa campanha da Copa do Brasil de 2014, o jovem lateral buscava se firmar dentro do próprio clube.

Um ano depois e com Rio-2016 cada vez mais próximo, Douglas Santos se firmou no Atlético. Foi o titular durante toda a última temporada, com 50 jogos em 64 possíveis. A seleção que era um sonho se tornou realidade. O camisa 6 alvinegro teve convocações para o time que se prepara para o Jogos Olímpicos e também para a seleção principal, inclusive para partidas pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

Jogador do Atlético mais convocado em 2015, Douglas Santos garante que a temporada 2016 não vai ser diferente. Pelo menos na dedicação e entrega em campo. Ter a chance de fazer história com a camisa da seleção brasileira, com o inédito ouro olímpico, é uma das metas do paraibano que começou a carreira no Náutico, de Pernambuco. Mas não é apenas com a amarelinha que Douglas Santos quer título. Com o Atlético também. Depois do vice-campeonato brasileiro em 2015, o lateral acredita que o 2016 alvinegro vai ser ainda melhor.

Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, Douglas Santos mostrou que está preparado para ser titular da equipe de Dunga no principal desafio do ano. Sobre o Atlético, a projeção é muito boa para o torcedor. "Acredito que o ano vai ser de conquistas para o Galo".

Temporada 2015
Graças a Deus o ano de 2015 foi muito bom para a gente. Estávamos sonhando muito com o Brasileiro, mas não aconteceu. Mas é mais um ano de Libertadores, o que é muito importante para o clube e para os jogadores. Temos que frisar que lutamos durante toda a temporada.

Rio-2016
É um está perto que nunca está perto. É preciso continuar trabalhando sempre em alto nível. Agora começa um novo ano, com novos campeonatos e novos desafios. No futebol brasileiro sempre surgem bons jogadores, então não posso pensar que já estou dentro, tenho que trabalhar bastante. Estou com o pensamento na cabeça de ir para os Jogos Olímpicos e ser campeão.

Seleção brasileira principal
A experiência foi muito boa. Quando eu fui com o Felipão eu nem treinei. Agora foi diferente, eu treinei, senti a sensação que é muito boa e participei de jogos oficiais, que foram as Eliminatórias. Então foi bem importante para mim, para sentir o calor do jogo, o ambiente, para nas Olimpíadas eu estar com a mente boa e preparado para ajudar a seleção brasileira.

Libertadores 2016
O que temos de fazer diferente para a Libertadores é um treino mais intenso. A Libertadores é bastante diferente do Brasileiro e do Campeonato Mineiro. É bem diferente, é outro nível. Então a gente tem que começar o ano bem, pois terminamos 2015 bem. Acredito que o ano vai ser de conquistas para o Galo.

Aprendizado na Itália
É muito diferente. Quando eu fui para a Udinese eu aprendi muito. Cheguei aqui já diferente, atacante bem, algo que não fazia antes. Na época do Náutico eu apenas defendia, jamais atacava. Mas na Udinese eu aprendi a variar, atacar bem e defender bem. Sempre agradeço muito a todos os membros da comissão do clube italiano, pois me ajudaram muito no bom jogador que me tornei.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos