Por R$ 710 mil, Grêmio torce para que Inter concretize negociação de meia

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Jeremias Wernek/UOL

    Anderson pode render R$ 710 mil para o Grêmio, que torce por venda do Inter

    Anderson pode render R$ 710 mil para o Grêmio, que torce por venda do Inter

Não é novidade que o Grêmio enfrenta um processo de recuperação financeira. Em busca de receitas, uma das armas do Tricolor é utilizar o mecanismo de solidariedade da Fifa. E ninguém está livre de cobranças. Até mesmo o tradicional adversário receberá os pedidos do clube, caso venda Anderson. 

A torcida gremista é para que se confirme a proposta do Hebei Fortune de R$ 40 milhões. O ex-zagueiro gremista, Scheidt, trabalha entre os representantes dos chineses e estará em Porto Alegre na terça-feira para tratar deste assunto. E fechando o acordo, o Grêmio colocará seu departamento jurídico em ação. 
 
Anderson defendeu o Grêmio de 2000 a 2004, da base ao profissional. Depois foi negociado com o Porto e emprestado ao Grêmio novamente, onde atuou em 2005 também. Pelo período, tem direito a 1,77% da negociação internacional, ou seja, poderá cobrar R$ 710.682,00. 
 
O monitoramento de jogadores cujos direitos de formação podem ser cobrados funciona com base em um banco de dados online. Grêmio e Corinthians buscam lucrar da mesma forma e tem um parceiro em comum para isso.  Através dele buscam seus direitos repetidamente em casos semelhantes ao que se apresenta para Anderson. 
 
Em um prazo de dois anos, os clubes interessados em cobrar valores do mecanismo de solidariedade da Fifa precisa acionar os compradores, que pagam o valor. Clubes europeus costumam arcar com tais custos imediatamente. Asiáticos e sul-americanos, por outro lado, normalmente pagam apenas após cobrança na Fifa.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos