Luxa diz que atitude de Cuca pegou mal na China e desabafa sobre "patota"

Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

  • Alexandre Vidal/Divulgação

    Luxemburgo criticou a saída de Cuca do Shandong Luneng

    Luxemburgo criticou a saída de Cuca do Shandong Luneng

O técnico Vanderlei Luxemburgo, atualmente no Tianjin Songjiang, da China, criticou Cuca por sua saída do Shandong Luneng, em novembro de 2015 por problemas pessoais, segundo o mesmo afirmou. Em entrevista ao UOL Esporte, Luxa contou que a atitude do compatriota pegou mal e ainda explicou a invasão brasileira no mercado chinês. 

"A saída do Cuca não foi boa para os brasileiros, porque ele tinha um contrato de três anos e não cumpriu por divergência. Voltou ao Brasil e continua recebendo e isso é ruim para técnicos. Quando você faz um contrato de três anos, você sabe que vai encontrar dificuldades. Eu tenho que me adaptar a eles e não eles a mim", comentou Vanderlei Luxemburgo.

Luxemburgo citou que brasileiros têm por costume fazer muitas exigências quando se mudam de país, como a questão da comida, por exemplo, o que não poderia acontecer. "Eu tenho que me adaptar a eles e não eles a mim, eu estou levando só o meu know how. Eu tenho a obrigação de comer algumas coisas que eu não gostaria de comer, mas é a cultura deles eu vou ter que me adaptar a eles. Brasileiro quer tudo do jeito que tem que ser. Não! Nós estamos indo para um país e não o país indo para nós", analisou o treinador.

Na conversa com a reportagem, Vanderlei Luxemburgo ainda comentou um pouco sobre a "invasão" brasileira na China, com a contratação de muitos jogadores e até mesmo comissão técnica para atuarem no futebol chinês e tentou explicar um pouco a postura adotada pelo mercado na hora de contratar atletas.

Luxemburgo levou 12 brasileiros para compor sua comissão técnica

"São fisioterapeutas, fisiologistas, nutricionista, psicólogo, análise de desempenho, toda a 'patota' que busca um processo profissional. Boa parte da imprensa usa o termo 'patota do Luxa' de forma pejorativa. Mas eu estou levando profissionais comigo para poder desenvolver o futebol. Eu poderia levar simplesmente 3 profissionais, eu estou levando 12 pra quê? Para desenvolver o futebol, para o chinês poder entender que a nutrição é fundamental para corrigir o hábito dele, entender que fazer a análise dentária, fazer exames das vistas (olhos), fazer exame de coração, uma série de coisas que a gente está levando para lá que não tinha", explicou.

Reclamação do Corinthians da postura chinesa

"Tem pessoas e pessoas. Tem um clube aqui no Brasil que sempre quer pegar jogadores e nem espera terminar o contrato. Eu peguei o telefone, liguei para o Andrés e falei: 'Andrés me falaram que existe a possibilidade do Jadson poder ir pra China e se isso proceder eu vou falar que podem conversar com o Corinthians e fazer a proposta'. Eu falei para não ser uma surpresa. Se outros fizeram o caminho diferente não é problema meu, eu sempre fiz isso, aí o Andrés falou que se o Jadson aceitasse, tudo bem. O Jadson aceitou a proposta e deu negócio", completou. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos