Qual é o Lugano que o São Paulo terá como reforço em 2016?

Guilherme Palenzuela

Do UOL, em São Paulo

Diego Lugano encaminhou o acordo de rescisão com o Cerro Porteño, despediu-se do clube na noite de quarta-feira (6) e confirmou que jogará no São Paulo em 2016. O zagueiro viajou a Montevidéu, no Uruguai, onde passará alguns dias até resolver os últimos detalhes contratuais da transferência antes de viajar à capital paulista. Depois de dez anos, o ídolo que venceu Copa Libertadores e Mundial voltará ao Morumbi. Mas o jogador que chega em 2016 é totalmente diferente daquele que se foi em 2006.

Desde que saiu do São Paulo, a carreira de Lugano teve diferentes fases: o auge técnico e físico no Fenerbahçe, ciclo que se encerrou com o título da Copa América em 2011 como capitão da seleção uruguaia; a luta para ser titular entre Paris Saint-Germain, Málaga e West Brom; a volta da quase aposentadoria na Suécia; e o ressurgimento para o futebol profissional no Cerro Porteño, em 2015.

O auge

EFE/Leo La Valle

Lugano se transferiu ao Fenerbahçe, da Turquia, depois da final da Copa Libertadores de 2006, na qual acabou como vice-campeão pelo São Paulo, contra o Internacional. Seis meses antes, havia se sagrado campeão mundial pelo clube paulista, contra o Liverpool, depois do triunfo na Copa Libertadores. No Fenerbahçe, foram cinco temporadas, de 2006 a 2011, com três títulos conquistados.

Ao todo foram 152 jogos e 25 gols na Turquia, segundo dados do portal O Gol. Na última temporada, teve ano de artilheiro para um zagueiro: 30 jogos e oito gols. Em 2011 o zagueiro vivia o melhor momento da carreira e coroou com o título da Copa América um ano depois de ter capitaneado a seleção uruguaia no quarto lugar da Copa do Mundo de 2010.

De galho em galho para ser titular

AFP PHOTO/ JORGE GUERRERO

Aos 31 anos e depois da consagração no meio de 2011, Lugano foi uma das contratações do Paris Saint-Germain, da França, que acabara de ser comprado pelo Qatar Sports Investiments, grupo que até hoje controle o clube. Foram 21 jogos como titular e apenas um gol na temporada, que contou com um começo irregular do zagueiro e final na reserva. Não jogou nos primeiros seis meses da segunda temporada, 2012-13, e então começou os movimentos na carreira para se manter como titular em algum clube.

A maior preocupação de Lugano naquele momento, segundo relatado a amigos, era atuar com regularidade como titular para não perder o posto na seleção uruguaia. Ele havia sido o capitão na boa campanha da Copa do Mundo de 2010 e no título da Copa América de 2011, e temia não chegar em suas melhores condições à Copa de 2014, no Brasil. Decidiu, então, transferir-se por empréstimo ao Málaga, da Espanha. Jogou 11 partidas pelo clube em 2013, em período em que sofreu com lesões.

Na temporada seguinte, 2013-14, rompeu contrato com o PSG para jogar no West Brom, da Inglaterra. Durante toda a temporada sofreu com alguns problemas físicos e jogou apenas 12 jogos, marcando um gol. Chegou à Copa do Mundo longe de suas melhores condições, mas ainda capitão da seleção. Depois da estreia com falha contra a Costa Rica, porém, se machucou e não conseguiu mais atuar na competição.

Pausa na carreira e Suécia

Site Oficial / saopaulofc.net

Depois do fim do contrato com o West Brom e da Copa do Mundo de 2014, Lugano ficou um ano sem jogar. A carreira já parecia sem rumo quando, em setembro daquele ano, o uruguaio passou a viver no Brasil para se tratar no São Paulo e continuar no Reffis do clube o trabalho de recuperação física.

Apesar de tentativas de alguns dirigentes, o clube não quis contratá-lo naquele momento. Em abril de 2015, quase um ano depois da Copa, o uruguaio firmou contrato com o Hacken, clube da Suécia, para tentar voltar a jogar em alto nível. O projeto surtiu efeito, Lugano voltou a ser titular em sequência e conseguiu voltar à melhor forma física.

Ressurgimento no Cerro

Reprodução/Twitter

Três meses depois da recuperação na Suécia, Lugano assinou contrato com o Cerro Porteño, do Paraguai. Apesar de querer voltar a jogar no São Paulo, não encontrou no clube reciprocidade. Assim como na Suécia, o zagueiro conseguiu manter sequência como titular, jogando sempre 90 minutos, e sem lesões – a liga paraguaia, com jogos uma vez por semana, o ajudou. O uruguaio terminou 2015 como titular e um dos mais importantes jogadores da equipe: marcou cinco gols em apenas 16 partidas e obteve a média mais artilheira de toda a carreira. 

O que o São Paulo espera?

Segundo relatado pela diretoria do São Paulo, o clube sabe que Lugano chegará ao clube em 2016 longe de suas melhores condições físicas e muito distante daquele jogador que se firmou como ídolo em 2005. A cúpula do clube entende, no entanto, que o elenco precisa de um novo líder – depois da aposentadoria de Rogério Ceni – e principalmente de um atleta que seja exemplo de comprometimento profissional nos vestiários. Por isso, crê que o benefício de Lugano fora de campo para o time será ainda maior que o retorno que ele poderá dar dentro das quatro linhas.

Lugano é esperado pelo São Paulo no CT da Barra Funda para assinar contrato, mas ainda passará alguns dias em Montevidéu, no Uruguai. O clube acredita que deverá ter o zagueiro anunciado formalmente até, no máximo, o início da próxima semana. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos