Desmanches como o do Corinthians já atingiram outros times. Poucos reagiram

Do UOL, em São Paulo

O torcedor do Corinthians dificilmente está empolgado com os primeiras dias de 2016: o elenco campeão brasileiro, e que até alguns dias atrás era um dos favoritos na disputa da Libertadores, aos poucos vai perdendo suas principais peças. Ralf, Jadson, Renato Augusto e Vagner Love já saíram, e Cássio só falta o clube oficializar. Além deles, Gil e Elias ainda podem ser seduzidos por propostas da China. O termo desmanche nunca esteve tão condizente com a situação do alvinegro.

Grandes desmanches de times após conquistas de títulos não são novidade no futebol brasileiro: já atingiram vários grandes clubes, inclusive rivais do Corinthians. Os desfechos foram diferentes. Alguns conseguiram se reformular e reagir às saídas. Outros, nem tanto. A maioria teve muita dificuldade em ter que recomeçar e reestruturar o time com um novo elenco de forma repentina.

Palmeiras de 1994/1995

O Palmeiras tinha um verdadeiro esquadrão em 1994, ano em que foi campeão Paulista e Brasileiro, quando foi atingido por um desmanche após vencer o arquirrival Corinthians na final do Brasileirão. Depois daquele jogo, Cláudio, César Sampaio, Zinho, Evair e o técnico Vanderlei Luxemburgo deixaram o time. Meses depois, Edmundo abandonou o clube. Não à toa o ano de 1995 foi o pior da era Palmeiras-Parmalat. Ainda assim chegou à decisão do Campeonato Paulista.

Palmeiras de novo – 1999/2000

O rival alviverde sofreu outro desmanche com o time campeão da Libertadores em 1999, que teve saídas de Cleber, Zinho, Paulo Nunes, Oséas, Evair e Júnior Baiano após o último jogo de 1999. O Palmeiras, entretanto, perseverou, e foi finalista da Libertadores, perdendo nos pênaltis para o Boca Juniors em uma partida marcada por polêmicas na arbitragem. Semanas depois saíram também Alex, Júnior, Euller, Penna, Marcelo Ramos, Rogério e Roque Júnior. Em 2000, o time, apesar das baixas, ganhou o Torneio Rio-São Paulo e a Copa dos Campeões. Ainda foi finalista da Mercosul, além da Libertadores. Já em 2001 ficou sem nada.

Botafogo 2013/2014

O Botafogo teve um excelente time em 2013, foi campeão carioca, chegou a liderar o Brasileirão e classificou-se para a Libertadores. As saídas de  Seedorf, Andrezinho, Fellype Gabriel, Rafael Marques, Jadson e Vitinho e do técnico Oswaldo de Oliveira tiveram um impacto devastador. Em 2014, pós-desmanche, o clube acabou tendo um ano desastroso e foi rebaixado para a Série B do Brasileirão.

Cruzeiro 2014/2015

O caso mais recente de desmanche de um campeão é do Cruzeiro, bicampeão brasileiro em 2013 e 2014. O clube mineiro, na última temporada, teve que lidar com saídas de Lucas Silva, Egidio, Marcelo Moreno, Goulart, Everton Ribeiro e até do diretor Alexandre Mattos. O resultado no ano não foi desatroso, mas passou longe de título: oitavo lugar no Brasileiro.

E o Corinthians?

Com a perda de peças importantes, o alvinegro precisará buscar no mercado, e na habilidade de Tite as soluções. Se o histórico servir como exemplo, é cedo para determinar o impacto do desmanche no ano corintiano – os próximos meses serão fundamentais.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos