Fifa abre mão de discursos e foca jogadores. Os bastidores do Bola de Ouro

João Henrique Marques

Do UOL, em Zurique

Em meio aos escândalos de corrupção que rondam dirigentes da Fifa, a entidade adotou postura discreta na cerimônia do Bola de Ouro na noite desta segunda-feira, em Zurique, na Suíça. Os clássicos longos discursos de dirigentes não aconteceram e quase toda a premiação foi concentrada com ação dos apresentadores e de jogadores.

O UOL Esporte listou os bastidores da cerimônia que condecorou Messi pela quinta vez como o melhor jogador do mundo. A correria de Cristiano Ronaldo, o traje de Pogba e o choro do brasileiro Wendell Lira também são destaques.
 
Fifa escanteada
 
A entidade ficou sem porta-voz no evento na Suíça. Rápidos discursos de abertura e encerramento do presidente interino, o camaronês, Issa Hayatou, foi tudo o que se limitou a promover. No demais, os jogadores postulantes ou não ao prêmio, como os casos de Kaka e Samuel Eto´o, foram destacados. Messi, Neymar e Cristiano Ronaldo chegaram a ir três vezes cada um ao palco, entre entrevistas e premiações.
 
O choro contido
 
Wendell Lira fez o discurso da premiação do gol mais bonito de 2015 contendo emoções. O brasileiro não se aguentou quando retornou ao assento e caiu no choro por longos minutos. Assim que acabou a cerimônia, Wendell se juntou a Neymar e Messi para uma foto. Daniel Alves foi quem o levou até os jogadores.
 
A reação de Cristiano Ronaldo
 
Cristiano Ronaldo demonstrou bom humor durante toda a cerimônia. Só que logo após o fim da apresentação, com a coroação de Lionel Messi, o português apontou para amigos que estavam na plateia e pediu pressa para a saída lateral. Ele não participou do coquetel promovido pela Fifa aos jogadores e convidados, assim como não deu entrevistas. A preocupação foi ir embora rapidamente do evento.
 
Messi discreto
 
Lionel Messi adotou roupa clássica, sem extravagâncias como em outras cerimônias e discurso humilde. Entre os convidados, o argentino levou apenas a namorada Antonella. Ao receber a premiação, nenhuma provocação foi feita. A frase de destaque foi a de que sofreu ao ver Cristiano Ronaldo ganhando as duas apresentações anteriores.
 
Pogba roubando a cena

O destaque entre os trajes usados pelos jogadores foi o de Pogba, o francês da Juventus. O jogador adotou um paletó com vários detalhes em amarelo e foi alvo de gozação do apresentador ao dizer que ganhou premiação à parte como o melhor traje da noite. O meia foi um dos integrantes do time do ano de 2015.
 
A saia justa 
 
Sem explicações, o treinador do Barcelona, Luis Enrique, não foi ao evento e causou complicações. A Fifa já não contava com a presença do Pep Guardiola, em intertemporada com o Bayern de Munique, nos Estados Unidos, e teve que cancelar a entrevistas com os treinadores antes do evento. Um dirigente do Barça recebeu o prêmio de melhor técnico representando Luis Enrique e disse que a ausência se deveu a problemas particulares.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos