Neymar empatado com polonês! Quem ignorou Messi? 12 fatos da Bola de Ouro

Do UOL, em São Paulo

Depois que o vencedor da Bola de Ouro já está levando o prêmio para casa, é hora de esmiuçar a lista divulgada pela Fifa para saber quem votou em quem. Com um pente fino, descobre-se quais são as preferências dos craques, qual técnico fez média e quem foi esquecido. Pensando nisso, o UOL Esporte fez a lista abaixo.

Do dilema de Messi à escolha dos técnicos, veja 12 curiosidades da Bola de Ouro:

 

1 - Quem ignorou o melhor do mundo
Teve gente capaz de excluir Lionel Messi de seu top 3, acredite. E não foram poucos. No total, 78 votantes (de um total de 518) não apontaram o argentino entre suas escolhas, sendo 30 capitães, 33 técnicos e 9 jornalistas. Entre as figuras mais importantes, Lewandowski, James Rodriguez, Schweinsteiger, Cristiano Ronaldo, Diego Godín e Joachim Low ignoraram o camisa 10 do Barça.

2 - Lewandowski é o quarto melhor
Se você esperava Suárez atrás de Neymar, quebrou a cara. O quarto lugar na Bola de Ouro é de Robert Lewandowski, que somou 187 pontos contra 151 do uruguaio. O polonês foi tão bem que teve o mesmo número de indicações à primeira colocação que Neymar: 14 ao todo.

3 -Voto de Messi: Neymar ou Suárez?
Lionel Messi estava em uma situação curiosa na votação porque tinha uma escolha importante a fazer. Como capitão da Argentina, ele tinha de escolher entre Suárez e Neymar, que formaram o inseparável tridente da tríplice coroa do Barcelona. E ele ficou com o uruguaio, eleito por ele o melhor do mundo à frente de Neymar e Iniesta. Pelas regras da Fifa, vale lembrar, o craque não podia votar nele mesmo.

4 - Suárez bate CR7 entre jogadores de elite
Se dependesse dos capitães das seleções de elite seria Luis Suárez, e não Lewandowski, Neymar ou CR7 quem brigaria com Lionel Messi. Entre os jogadores desse grupo que participaram da eleição, quatro citaram o uruguaio, sendo dois como melhor do mundo (um deles o próprio Messi). CR7 também teve quatro citações, mas só uma em primeiro (de James Rodriguez). Neymar, também citado quatro vezes, conseguiu no máximo um vice com o próprio Messi e Robben.

5 - Corporativismo de Real e Barça
Em um colégio eleitoral tão grande, são poucos os votantes que podem escolher colegas de clube ou seleção. Quem pode, porém, o faz sem pensar. Cristiano Ronaldo e James, por exemplo, gastaram todos os seus votos em colegas do Real Madrid (Benzema e Bale foram citados). Neymar e Messi fizeram parecido, citando um ao outro, Suárez e Iniesta e Rakitic.

6 - A mídia vota em peso em Messi
O argentino ganhou a Bola de Ouro com alguma folga em todos os segmentos, só que a diferença para Cristiano Ronaldo foi bem menor se considerarmos só os votos de jogadores (145 pontos) ou técnicos (147). Entre os jornalistas, a vitória foi bem mais folgada. Foram 746 pontos, 323 pontos a mais que o português.

7 - Como votaram os brasileiros?
Se você pudesse escolher o Bola de Ouro, qual seria a sua opção? Neymar, Dunga e Cleber Machado tiveram a chance. O jogador foi de Messi, Suárez e Rakitic, privilegiando os colegas de Barça. Dunga também privilegiou os seus e colocou Neymar à frente de Messi e CR7. Já Cleber Machado, que representou os jornalistas do país, foi de Messi, CR7 e Neymar.

8 - Itália boicota a votação
Buffon e Conte, capitão e técnico da Itália, respectivamente, não votaram na Bola de Ouro. Segundo a Sky Sports, foi um protesto organizado pela Federação Italiana pela não inclusão do goleiro na lista dos 50 melhores que podiam ser escolhidos pelo colégio eleitoral.

Além dos italianos, os votos dos capitães de Espanha e Chile também foram sentidos. De acordo com a rádio Cope, Casillas não participou por ter recebido os documentos da Federação Espanhola só um dia antes do fim do prazo. A justificativa para a ausência do capitão sul-americano ainda é desconhecida.

9 - Ibra quase em branco
Um dos astros do futebol mundial na última década, Ibrahimovic está mesmo longe de seu melhor momento. O sueco do PSG foi apontado como primeiro colocado por apenas três votantes: os capitães de Curaçao e Quirguistão e o técnico da Suécia.

10 - Robben e Rooney votam em técnicos rivais
Além dos votos para a Bola de Ouro, a Fifa também divulgou quem os capitães das seleções escolheram para melhor técnico, e algumas opções são interessantes. Robben, por exemplo, preferiu Luis Enrique e Massimiliano Allegri a Guardiola, seu comandante no Bayern. Já Rooney deu seu voto a José Mourinho, à época no Chelsea e hoje candidato ao comando do próprio Manchester United.

11 - Só Neymar e libanês lembraram de Rakitic
O croata, apesar de titular absoluto do Barcelona, ficou bem longe da Bola de Ouro. Os únicos que o citaram entre os três melhores do mundo foram Neymar, seu companheiro de time, e Radulovic Miodrag, capitão do Líbano.

12 - Marta não é citada entre as mulheres
Top 3 da eleição da Fifa desde 2004 e vencedora em cinco oportunidades, Marta caiu muito de produção em 2015 e não foi citada por ninguém no colégio eleitoral. A vencedora foi a americana Carli Lloyd, campeã da Copa do Mundo com os EUA. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos