Joia do Corinthians na Copa SP já ofuscou até campeões brasileiros de Tite

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Denny Cesare/Agência Corinthians

    Maycon celebra um dos gols marcados diante do Paysandu no sábado passado

    Maycon celebra um dos gols marcados diante do Paysandu no sábado passado

Guilherme Arana e Malcom são xodós de Tite no elenco profissional do Corinthians e deram contribuição, como titulares, na conquista do Campeonato Brasileiro 2015. Mas, antes disso, viveram à sombra de uma promessa que agora espera alcançar os colegas. Nesta terça-feira, às 21h (de Brasília) em Limeira, a partida contra o Guarani pela quarta fase da Copa São Paulo traz uma nova oportunidade a Maycon. 

No Corinthians desde os 12 anos e nascido em 1997 como Malcom e Arana, o volante tem sua segunda Copinha como titular. Coadjuvante na edição passada, em que anotou o gol do título contra o Botafogo-SP, ele agora assume a condição de um dos protagonistas do time. Em três jogos, Maycon marcou três vezes e lidera a tabela de artilheiros do grupo corintiano.

A volta ao protagonismo é uma vitória para ele. Até 2013, Maycon era considerado o principal nome de sua categoria. Na seleção brasileira sub-17 daquele ano, foi um dos raríssimos convocados de 16 anos no grupo majoritariamente formado pelos nascidos em 1996. Na assinatura do contrato profissional, recebeu salário superior a Malcom e Arana. Mas, quando se preparava para decolar na base, lesionou o joelho esquerdo com gravidade e viu a carreira estagnar por sete meses pela ruptura do ligamento anterior cruzado em março de 2014.  

Maycon, naquele momento, foi ultrapassado de vez pelos colegas Malcom e Guilherme Arana, profissionalizados por Mano Menezes. Engordou durante a recuperação, demorou a alcançar de novo a melhor condição física que, agora, tem feito a diferença a seu favor. Ele se tornou o volante com as características que Tite mais aprecia: competitivo, com bom chute de longa distância e, principalmente, chegada de surpresa à área para conclusão. 

A boa leitura de jogo e a condição física, aliás, permitiram ao jogador contribuir em quase todas as posições do campo. Maycon já foi primeiro e segundo volante, meia armador, atacante e, em dois momentos distintos, lateral esquerdo. Nos tempos do sub-14, o então treinador Sérgio Odilon barrou Arana e fez de Maycon seu camisa 6. Mais recentemente, para poder escalar Gustavo Viera, Marciel e Matheus Pereira no meio do sub-20, o treinador Osmar Loss repetiu a escolha.  

Nesta Copa São Paulo, Maycon voltou à posição onde acredita alcançar seu melhor nível. Como segundo volante, tem provado isso dentro de campo. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos