Morte de Bowie e prêmio repetido tiram Messi das capas de jornais

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Mesmo na Argentina, prêmio de Messi é destaque secundário em jornais

    Mesmo na Argentina, prêmio de Messi é destaque secundário em jornais

A consagração de Lionel Messi na Bola de Ouro 2015 da Fifa teve espaço discreto nas capas de jornais de todo o mundo. Diante da morte de David Bowie nesta segunda-feira, as publicações em geral optaram por dar destaque ao artista; vencedor do maior prêmio do futebol pela quinta vez, Messi perdeu força até mesmo na Argentina, justamente pela recorrência da conquista.

Em todo o mundo, jornais de interesse geral deixaram a premiação da Fifa em segundo plano. Na Europa, o argentino nem sequer aparece na capa de algumas das principais publicações – casos de The Guardian (Inglaterra), Daily Telegraph (Inglaterra), Corriere della Sera (Itália), La Repubblica (Itália), El Pais (Espanha), ABC (Espanha), Le Monde (França), Le Figaro (França), Público (Portugal), Frankfurter Algemeine (Alemanha), Hamburger Morgenpost (Alemanha), Le Soir (Bélgica), De Tijd (Bélgica), Ethnos (Grécia), Tanea (Grécia), Efsyn (Grécia) e Dagbladet (Noruega).

A situação é parecida no The New York Times, dos EUA, que não menciona a conquista de Messi. No Brasil, o Correio Braziliense colocou o argentino como um coadjuvante; em compensação, deu destaque ao atacante Wendell Lira, vencedor do Prêmio Puskas e apresentado como "o Davi que veio de Goiás".

Reprodução
Na Inglaterra, The Guardian dá primeira página à morte de David Bowie. Messi não aparece na capa
Entre os jornais gerais, Messi teve destaque apenas secundário em poucos jornais. "Messi: quinta Bola de Ouro e paz com CR7", descreve o espanhol El Mundo. Já o holandês De Telegraaf reproduz em sua capa uma declaração do argentino: "Isso é mais do que eu sonhava quando era criança".

Curiosamente, mesmo na Argentina, a conquista de Messi perdeu espaço para a morte de David Bowie nas capas dos jornais. No tradicional La Nacion, o artista está no topo da primeira página, enquanto o camisa 10 da seleção local aparece no pé. "Messi, uma lenda com cinco Bolas de Ouro", descreve o jornal. As capas divididas também foram vistas em diários como Clarín, La Capital e Uno.

O destaque a Messi ficou restrito a alguns dos principais jornais esportivos do mundo. Mesmo assim, nas capas de Corriere dello Sport, Tuttosport e La Gazzetta dello Sport (todos da Itália), as referências à premiação da Fifa são bastante discretas.

Na imprensa esportiva espanhola, como esperado, Messi é capa. O Marca apresenta o argentino como "Leo V", enquanto o As estampa percentuais da votação na primeira página: "Messi, 41,3%". O Mundo Deportivo chama o camisa 10 de "mão de ouro", referência semelhante à do Sport. "Ele já tem sua quinta Bola de Ouro; Neymar foi terceiro e Luis Enrique foi o melhor técnico", relembra o jornal catalão.

Na França, o L'Équipe (organizador original da Bola de Ouro) chama o craque argentino de "Me5si", em referência ao número de premiações. Já na Argentina, o Olé destaca "LM5", mas lembra que o jogador "teve uma comemoração sóbria e expôs um espinho na garganta", ao se referir à falta de títulos da argentina na Copa do Mundo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos