Cartola do Cruzeiro sai do silêncio e desmente própria história sobre juiz

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press

Primeiro o vice-presidente de futebol Bruno Vicintin. Agora chegou a vez do próprio Benecy Queiroz, supervisor de futebol do Cruzeiro, ir aos microfones para comentar suas recentes declarações sobre uma eventual compra de árbitro em uma partida do Cruzeiro. No último domingo, em entrevista ao programa Meio-de-Campo, da Redeminas, Benecy não deu detalhes, mas confirmou já ter feito o pagamento a um juiz para favorecer o time mineiro. O caso ainda é desconhecido, já que as informações do dirigente não se encontram. Nesta manhã de quarta-feira, o diretor esteve na Toca da Raposa e pediu desculpas pela entrevista polêmica. Sem espaço para perguntas dos profissionais da imprensa, Benecy apenas leu um texto já preparado em que desmente a história contada no programa. O supervisor ainda disse que pretende desacelerar seus trabalhos no Cruzeiro, mas não deixou claro se vai permanecer no cargo.

"Fui procurado para dar uma entrevista sobre meus 45 anos do clube, que durou cerca de uma hora e meia. Em um determinado momento, me foi perguntado se já tinha tentado comprar algum jogo. Iniciei dizendo que se fala muito de mala branca, mas que existem gratificações a times menores, mas que eu não considero suborno. Essa foi a tônica da entrevista.

Ainda dentro do espírito descontraído, criei uma historia com dois personagens que trabalharam em períodos distintos no Cruzeiro. Na verdade, o jogo não aconteceu, tudo foi um conto. Primeiro disse que o time chutou bola do meio do campo, depois que entrei em campo para cobrar o juiz. Sei da seriedade da instituição e em todo este período, jamais presencie ou ouvi dizer que o Cruzeiro tenha sequer cogitado fazer algum esquema com árbitro de futebol.

Reconheço que fui infeliz e nunca imaginei que tivesse uma repercussão negativa tão grande. Reafirmo que tudo não passou de uma entrevista descontraída. Queria pedir desculpas a vocês da imprensa, queria me desculpar com a torcida do Cruzeiro, e por último queria pedir desculpa ao presidente, toda diretoria, funcionários, conselheiros, por esse transtorno da entrevista que concebi.

Acrescento que, aconselhado pelo meu médico, devo desacelerar meus trabalhos. Estou com minha pressão acima do limite e este foi um dos momentos mais infelizes da minha vida", disse Benecy Queiroz.

Conselheiros do Cruzeiro também já se reuniram para discutir o assunto, mas o presidente do clube, Gilvan de Pinho Tavares, ainda não se manifestou nem informou a palavra oficial do clube sobre o caso. De acordo com o procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmitt, o caso já está sendo analisado e o dirigente pode ser até banido do futebol.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos