Corinthians comprou até passagem aérea antes de barrar Pato nos EUA

Dassler Marques

Do UOL, em Orlando (Estados Unidos)

  • Mauro Horita/AGIF

O primeiro sinal de que Alexandre Pato estava fora da viagem para os Estados Unidos foi dado há uma semana pelo próprio Corinthians. Em Orlando, o gerente de marketing Gustavo Herbetta avisou a organização da Florida Cup que o embaixador do clube na Parada da Disney seria Pato. Três horas depois, direto de São Paulo, o departamento de futebol vetou o anúncio. Era o volante Elias o escolhido para o evento que faz brilhar os olhos dos organizadores. 

No início da tarde da última quarta, horas antes do anúncio oficial, o Corinthians confirmou para os responsáveis pela logística da viagem: Alexandre Pato não viaja e segue fora dos planos para 2016 porque negocia com um outro clube, possivelmente inglês. O atacante tinha passagem aérea emitida em seu nome no voo da Delta Airlines que levou o elenco de Tite para os Estados Unidos, mas, no contato por volta dos 12h de quarta-feira, a direção corintiana avisou que quem viajaria seria Cássio por falhas nas tratativas com o Besiktas-TUR. 

Pato e a própria comissão técnica, já há muitos dias, tinham claro que ele estava fora dos planos para a Florida Cup. O atacante confidenciou a amigos que dificilmente viajaria, sobretudo depois de recusar oferta para jogar na China. Alexandre Pato, para as pessoas com quem conversou, não escondeu sua indignação com as declarações do ex-superintendente de futebol Andres Sanchez de que ele tinha que aceitar oferta chinesa. 

As pessoas mais próximas a Tite se esforçaram para manter a notícia em sigilo, mas também tinham claro que na quarta-feira a diretoria vetaria a viagem de Pato aos Estados Unidos. Em uma semana de trabalhos, o atacante que marcou 27 gols pelo São Paulo em 2015 cumpriu todo o protocolo: fez exames cardiológicos, programas com fisioterapeutas e frequentou o Corinthians em dois períodos. 

Para quem esteve integrado ao Corinthians por toda uma temporada (2013), também foi curiosa a decisão de colocar Marlone, recentemente contratado, como seu colega de quarto. Pato dividiu o CT Joaquim Grava com o meia que acaba de chegar do Sport. Nas poucas vezes em que foi a campo, e apenas para correr em torno do gramado, mostrou sorrisos e descontração. 

Agora, Alexandre Pato e o Corinthians parecem alinhados na definição de que o contrato vigente até 31 de dezembro de 2016 precisa ser rompido. A torcida esta nas mãos de seus agentes, que informados do desinteresse dele em atuar na China, tentam viabilizar a transferência para a Inglaterra. Jogar em um grande inglês e voltar para a seleção brasileira são seus maiores objetivos. Azar de Tite, que se empolgava com a chance de contar com o jogador novamente e justificar porque pediu o reforço de R$ 40 milhões.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos