Quase lá! Há 14 meses de molho, Dedé prepara retorno aos gramados

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Retorno poderia ter acontecido há dois meses, mas Dedé garante que não estava preparado

    Retorno poderia ter acontecido há dois meses, mas Dedé garante que não estava preparado

Peça importante do Cruzeiro no bicampeonato brasileiro de 2013/14, o zagueiro Dedé encarou um calvário totalmente oposto aos seus primeiros anos em Belo Horizonte. A última temporada do defensor foi passada inteira no departamento médico. Lesionado desde novembro de 2014, Dedé ainda viu seu primeiro tratamento não surtir efeito e teve que passar por duas cirurgias desde então. Mesmo sem estipular prazo para a volta, o zagueiro começa o ano diferente, já treinando com o grupo e se preparando cada vez mais para a volta.

"Fiquei um ano sem jogar. Esse período de pré-temporada está sendo importante para mim, não estou 100% ainda. Tenho um déficit ainda de uma perna para outra. Mas estou trabalhando bastante, converso com os médicos, venho sendo elogiado. Está sendo muito bom. Este meu período de pré-temporada será maior que o do restante da pessoal, mas estou feliz e esperançoso em um ano bom e ajudando o Cruzeiro", comentou, ainda sem dizer quando poderá retornar.

"Não tem como fazer esse prazo. Estou no Cruzeiro para buscar títulos. Tenho um propósito, algo a mais na minha meta para este ano, que é de ajudar o Deivid a se firmar aqui. É grande amigo e treinador, é o que o futebol brasileiro precisa. Os três últimos jogos-treino em que estive, passei por evolução muito boa. Assim será gradativamente", acrescentou.

O retorno de Dedé poderia acontecer já no final do ano passado. Na penúltima rodada do Brasileirão, contra o Joinville, o defensor foi relacionado pela primeira vez desde que machucou e ficou no banco. A vontade de entrar em campo na despedida do Mineirão existiu e foi grande, mas Mano Menezes, na época, optou por adiar a volta.

"Queria entrar naquele jogo, mas Deus sabe de tudo na hora certa. A torcida gritou meu nome, querendo que eu entrasse. Fiquei com amargura no peito, mas não era pra entrar. Sou um cara abençoado, não era para eu entrar ali naquele jogo. Dei graças a Deus por não entrar. Da forma como estou treinando hoje e ainda com déficit nas pernas, imagina naquele jogo, se entro e machuco novamente", disse.

Enquanto o 'Mito' se prepara para voltar com tudo, Deivid já tem sua zaga titular garantida. Na última quinta, Bruno Rodrigo e Manoel treinam na equipe principal, enquanto Dedé e Bruno Viana atuaram no time reserva.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos