Após erro em escala, Coronel Marinho deixa comando da arbitragem em SP

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Almeida Rocha / Folhapress

    Coronel Marcos Marinho não chefia mais arbitragem na FPF

    Coronel Marcos Marinho não chefia mais arbitragem na FPF

O Coronel Marcos Marinho não é mais o chefe da Comissão de Arbitragem da FPF (Federação Paulista de Futebol). O UOL Esporte apurou que ele foi retirado do cargo  neste sábado (16) após um erro na escala de arbitragem da Copa São Paulo de Futebol Jr. Além disso, a entidade já estudava uma mudança por considerar que seria necessário renovar o setor. A avaliação de seu legado é positiva. 

Ele deve seguir como funcionário da entidade para desempenhar a outra função que acumulava: a de diretor de prevenção e segurança. Às 18h30 deste sábado, a FPF divulgou nota oficial.

A entidade admitiu na noite da última sexta-feira (15) que houve um equívoco na escalação do árbitro Flávio Rodrigues Guerra para a partida entre Figueirense e São Paulo, realizada na última quinta-feira pela principal competição de categorias de base do país. 

O árbitro estava suspenso pela Justiça Deportiva por 100 dias desde novembro do ano passado.

Inicialmente, Marinho se defendeu afirmando que não tinha errado, já que sua suspensão teria validade apenas para partidas de torneios profissionais, e a Copa São Paulo seria um torneio amador. Já o procurador-chefe do STJD (Superior Tribunal de Justiça Deportiva), Paulo Schmitt, manifestou entendimento oposto ao de Marinho.

O entendimento do STJD é de que o árbitro não poderia apitar nenhum jogo de competição oficial, seja amador ou não. Ele forma seu entendimento baseando-se no artigo 172 do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva), que diz:

"A suspensão por prazo priva o punido de participar de quaisquer competições promovidas pelas entidades de administração na respectiva modalidade desportiva, de ter acesso a recintos reservados de praças de desportos durante a realização das partidas, provas ou equivalentes, de praticar atos oficiais referentes à respectiva modalidade desportiva e de exercer qualquer cargo ou função em poderes de entidades de administração do desporto da modalidade e na Justiça Desportiva".

Confira a nota oficial da FPF:

Em comum acordo, a Federação Paulista de Futebol e o coronel Marcos Marinho decidiram por trocar a presidência da Comissão de Arbitragem. A medida dá prosseguimento à proposta de reestruturação da área, iniciada no fim de 2015 com a criação do departamento de desenvolvimento dos árbitros.
Coronel Marinho ocupava o cargo na Comissão desde 2005 e foi responsável por importantes evoluções da arbitragem paulista, motivo pelo qual agradecemos pelos serviços prestados na área. Ele continuará na FPF no comando do Departamento de Segurança e Prevenção da entidade. O novo presidente da Comissão de Arbitragem será anunciado nos próximos dias.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos