Empréstimos viram opção para Grêmio superar falta de dinheiro

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Lucas Uebel/Grêmio

    Grêmio contratou Wallace Oliveira (foto) em modelo que pode salvar clube no mercado

    Grêmio contratou Wallace Oliveira (foto) em modelo que pode salvar clube no mercado

Investir na compra de um jogador que possa fazer a diferença dentro do elenco está complicado. Sem poder de investimento alto, o Grêmio busca a melhor análise para se movimentar atrás dos últimos reforços para a temporada 2016. E com prazo definido, o clube aposta em empréstimos pra minimizar gastos e tentar reforçar o elenco. 
 
"Temos plena consciência do tamanho deste clube, mas também da qualidade do grupo que temos e da política financeira clara que nos foi passada. Para o Grêmio e para quase todos os clubes, comprar jogadores desta forma no mercado está muito difícil. Não é por falta de perseverança ou compreensão do que precisa ser feito na adversidade. Mas isso não nos torna menores. É evidente que o Grêmio, dentro desta diretriz, busca negócios que possam garantir qualidade desportiva com investimento menor. Seria muito mais fácil ter R$ 100 milhões de orçamento. Se fosse assim talvez não tivéssemos que virar noites buscando opções. Mas não é a realidade", garantiu o diretor executivo de futebol, Rui Costa. 
 
Até agora o time gaúcho contratou três jogadores, todos para o sistema defensivo. O lateral direito Wallace Oliveira e os zagueiros Kadu e Fred. Em nenhum caso precisou pagar para fechar o negócio. Kadu estava sem contrato, Fred rescindiu com o Goiás e Wallace Oliveira foi emprestado pelo Chelsea. 
 
Toda negociação que se apresenta necessitando investimento mais alto, o Grêmio procura sua primeira alternativa de negócio: o poder de endividamento. O clube propõe parcelar custos, mas isso não tem convencido vendedores. Em vários momentos outras equipes acabaram levando alvos em comum por contarem com aporte financeiro maior.
 
"Não contrataremos por contratar, nem faremos gastos acima do permitido. Temos uma política clara e nosso orçamento é até maior, considerando a Libertadores. Mas seja por parte dos profissionais do clube ou mesmo dos dirigentes políticos, todos sabem que temos que aprimorar o elenco que temos ou ainda trazer reforços dentro de uma política que está bem clara", completou. 
 
O prazo para contratações não é definido pela direção. A ideia é reforçar o time o quanto antes. Mais dois jogadores, ao menos, devem chegar. Um para o ataque e outro para o setor de criação. E os empréstimos são alternativa quase que obrigatória para criar alternativas sem esvaziar os cofres.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos