Santos entra em semana para encerrar novela entre Geuvânio e chineses

Do UOL, em São Paulo

  • Mauro Horita/AGIF

Não é segredo para ninguém que Modesto Roma Jr., presidente do Santos, está irritado com as investidas dos chineses em cima de Geuvânio. Para dar mais tranquilidade a Dorival Júnior e também aos torcedores, o dirigente pretende acabar de uma vez com a novela envolvendo o nome da revelação santista.

Por isso, a estratégia tem sido reverberar que o atleta só sairá se o comprador estiver disposto a pagar a multa rescisória. O valor é de 50 milhões de euros, o que significa um valor perto da casa dos R$ 220 milhões. Apesar disso, conselheiros apostam que metade deste montante seria suficiente para convencer os santistas.

Pelo menos oficialmente, Modesto só admite uma proposta de 11 milhões de euros. Durante a semana, ele deu mais de uma entrevista afirmando que o valor era muito baixo para que as conversas começassem.

O principal interessado é o time de Vanderlei Luxemburgo, o Tianjin Quanjin, que já conta com Jadson, que estava no Corinthians, e Luis Fabiano, que era do São Paulo. Segundo Modesto, já houve até acerto de salários entre Geuvânio e a equipe.

"Esse assédio realmente é desgastante. Muito ruim fazerem proposta ao jogador. Se pagarem a multa rescisória, tudo bem, mas não chegou nenhuma proposta nem perto de 30 milhões de euros. Eles têm de resolver os problemas deles e quanto vão pagar ao Santos. Eles precisam chegar aos valores. Já há um acerto do time com o Geuvânio", disse ele à Rádio Globo durante a semana. 

Com um pequeno edema na musculatura flexora do quadril, Geuvânio não participou do jogo contra o Red Bull disputado neste domingo, que terminou com vitória santista por 3 a 2. Dois gols foram marcados por Rafael Longuine e outro por Joel. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos