Sampaoli chega a acordo com federação e deixa seleção do Chile

Do UOL, em São Paulo

  • Mario Ruiz/EFE

O técnico Jorge Sampaoli não é mais treinador do Chile. O treinador chegou a um acordo com a Federação de Futebol do país e deixou o cargo no início da tarde desta terça (19). O anúncio foi oficializado pela federação chilena no final da tarde desta terça (19). 

Desde a última semana, a expectativa era de que o treinador deixasse o comando da seleção. Um anúncio vago chegou a ser feito para a imprensa pelo próprio Sampaoli em Santiago após voltar do evento da Bola de Ouro, em Zurique, e o comandante continuou no comando, mesmo a contra gosto. No entanto, já era de conhecimento público que o argentino tinha vontade de deixar o Chile, com quem foi campeão da Copa América de 2015. O que deixava o acordo mais difícil era a cláusula de rescisão de contrato. 

De acordo com comunicado da federação chilena, Sampaoli e a Federação de Futebol do Chile chegaram a um acordo e a cláusula de rescisão, de 6,3 milhões de dólares (R$25,4 milhões), acabou saindo mais baixa que o valor inicial para o bolso de Jorge Sampaoli, que ainda deixa de receber premiações por suas conquistas com a seleção chilena.  

 "A associação de futebol do Chile chegou a um acordo com Jorge Sampaoli para colocar fim ao seu contrato. O acordo inclui cancelar as indenizações legais, que compreendem férias, remuneração pelos dias de janeiro e prêmios que estavam em abertos por suas ultimas partidas nas Eliminatórias da Copa. Por sua parte, através da assinatura do reconhecimento de dívida, o ex-técnico do Chile se comprometeu a pagar um montante a associação contra seu próprio contrato e, além disso, renunciou a totalidade dos prêmios da Copa América", diz o comunicado.   

"Com isso, o diretório da Associação cumpriu o objetivo de destravar a atual situação que afeta a seleção do Chile, evitando incertezas que implicava seguir com grandes ações judiciais.

O presidente da federação, Arturo Salah, assinala com este acordo, Sampaoli fica livre de ação para buscar um novo clube. "Agora nós vamos nos dedicar a nossa prioridade: fazer o possível para que Chile se classifique para a Copa do Mundo de 2018". completa a nota. 

A situação de Sampaoli no comando da seleção chilena ficou ainda mais delicada após seu desembarque em Santiago, vindo de Zurique, na última quarta (13), quando o treinador foi hostilizado no Aeroporto de Santiago. Sampaoli concorreu ao prêmio de melhor técnico do mundo na premiação da Fifa, mas quem levou o troféu foi Luis Enrique, do Barcelona. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos