Corintiano revela ter recusado milhões da Rússia para jogar a Libertadores

Dassler Marques

Do UOL, em Orlando (EUA)

  • AFP / Gregg Newton

    Romero anotou duas vezes diante do Shakhtar

    Romero anotou duas vezes diante do Shakhtar

Ángel Romero vive um momento novo em sua terceira temporada pelo Corinthians. Depois de ter feito dois gols diante do Shakhtar Donetsk-UCR na quarta-feira, o atacante paraguaio que passou o ano passado com pouquíssimas oportunidades revelou ter feito o oposto ao de colegas de elenco. Com proposta vantajosa do Rubin Kazan-RUS após o Campeonato Brasileiro, disse não.

"Não passou nunca na minha cabeça de sair. Ainda não demonstrei aqui meu futebol, estou com muita vontade de fazer o melhor aqui no Corinthians. Tenho vontade de jogar, de me consolidar como titular. A proposta que chegou da Rússia era boa, mas falando com minha família, com meus irmãos, falei para ficar no Corinthians. Ainda não estou contente com meu futebol. Posso fazer muito mais que já fiz e que esse ano eu possa jogar", afirmou Romero. 

O paraguaio também lembrou dos dois gols marcados diante do São Paulo, na reta final do ano, em goleada por 6 a 1. Melhor em campo na ocasião, ele cita a partida como um ponto de virada. "Esse jogo me ajudou bastante. Jogar um clássico como joguei contra o São Paulo dá confiança. Dá mais vontade de seguir treinando e trabalhando. Por mais que as coisas não aconteceram como eu queria, sempre vou tratar de fazer o melhor a cada jogo. É tratar de trabalhar mais". 

A situação vivida por Romero é nova depois de um ano fadado ao banco de reservas. Até o fim de março de 2015, por exemplo, havia jogado só 12 minutos. Na mesma pré-temporada nos Estados Unidos, praticamente treinou sempre à parte. Se somado todo o tempo  do ano passado, jogou 737 minutos apenas - disparado o menor índice do grupo. 

Tite, durante 2015, chegou a chamar atenção para Romero em função disso: entregou um livro chamado Os campeões, sobre a história de alguns dos treinadores mais vitoriosos da história da Europa. Agora, o paraguaio reconhece a importância do chefe em manter a motivação alta mesmo quando faltavam minutos em campo. 

"É um dos melhores treinadores que tem no mundo. É um cara que não só ensina no futebol mas também no pessoal. Ele também fala muito dos jogadores, demonstra que todo mundo é importante no Corinthians. Isso é muito importante para o jogador. Ele sente que é importante e, por mais que ano passado não estava jogando muito, ele sempre falava comigo que trabalhando e lutando vem grandes coisas no futebol e na vida". 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos