Ferj libera só duas rodadas, mas Fla e Flu avisam que jogarão Primeira Liga

Rodrigo Mattos

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Wahington Alves/Light Press

    Gilvan Tavares, presidente do Cruzeiro e da Primeira Liga

    Gilvan Tavares, presidente do Cruzeiro e da Primeira Liga

O tom do diálogo entre a Primeira Liga e a Ferj (Federação do Estado do Rio de Janeiro) até foi amistoso, mas continua a haver um impasse sobre a participação de Flamengo e Fluminense no torneio em 2016. Esse foi o resultado da reunião entre o presidente da liga, Gilvan de Pinho Tavares, a CBF e o presidente da Ferj, Rubens Lopes.

A federação aceitou que a dupla Fla-Flu dispute os dois primeiros jogos do torneio, como amistosos, mas em troca quer que abram mão de atuar nas outras partidas. Ou seja, eles não poderiam atuar nas finais, que coincidem com jogos do Campeonato Carioca.

Apesar disso, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, avisou que não muda a decisão de jogar a Primeira Liga. "A posição do Flamengo é conhecida. Tenho confiança de que o presidente Gilvan vai resolver isso", disse o rubro-negro. O Fluminense, por enquanto, também mantém a posição de disputar a Primeira Liga.

Apesar disso, Gilvan viu um avanço e um caminho para se chegar a um acordo. "Andou muito bem a reunião. E está tudo encaminhado para o acordo. Quando pessoas de bom senso sentam à mesa, pode-se resolver. O Rubens disse que não é contra a liga", afirmou. "É algo bom para o futebol brasileiro".

Outro ponto discutido foi o torneio para 2017. A Ferj quer a competição seja organizada pela CBF, com participação das federações. Neste caso, deixaria de ser uma liga e passaria a ter a chancela da confederação. E os participantes de cada estado seriam escolhidos por ranking de federações.

"Para a liga seria bom, porque aumentaria o número de times filiados. Hoje, temos 15, e poderíamos ter mais", analisou Gilvan. 

Mas, na prática, a liga perderia o controle sobre os escolhidos para jogar. No caso do Rio, a Ferj já disse que queria usar um ranking estadual, que teria campeão e vice do Carioca. Em 2016, por exemplo, jogariam Vasco e Botafogo, justamente times aliados da Ferj, e não Flamengo e Fluminense.

Ao final do encontro, realizado na sede da CBF, o secretário-geral da entidade, Walter Feldman, concedeu entrevista deixando claro o tom de possível acordo entre as partes - alinhado pela confederação.

"Nós queremos embate apenas no campo. A função da CBF é organizar o futebol brasileiro, o conflito não pode descambar pro campo da organização. É uma proposta de calendário novo que interessa a CBF e ao futebol. Nós queremos, mas como [a competição] não foi incluída no calendário nacional e tem alguns problemas de estatuto, estamos exercendo nossa parte diplomática de juntar as partes e tentar um acordo. Está muito claro que Gilvan e Rubens Lopes avancem para um acordo que possa reduzir ou extinguir o conflito que por ora existe", disse Feldman.

Confira a tabela da rodada inicial da Primeira Liga:

27 de janeiro (quarta-feira)
19h30 - Fluminense x Atlético-PR, em Brasília (DF)
19h30 - Criciúma x Cruzeiro, em Criciúma (SC)
21h45 - Atlético-MG x Flamengo, em Belo Horizonte (MG)
21h45 - Internacional x Coritiba, em Porto Alegre (RS)
28 de janeiro (quinta-feira)
19h30 - América-MG x Figueirense, em Belo Horizonte (MG)
21h45 - Avaí x Grêmio, em Chapecó (SC)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos