Ferj cobra CBF por resposta definitiva sobre a Liga: "competição pirata"

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Pedro Ivo Almeida/UOL

    Rubens Lopes (foto), da Ferj, cobrou um posicionamento da CBF contra a Liga

    Rubens Lopes (foto), da Ferj, cobrou um posicionamento da CBF contra a Liga

A Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) não gostou do posicionamento da CBF em reunião com a Primeira Liga na última quinta-feira, na sede da Barra da Tijuca. A entidade que comanda o futebol carioca reprovou a sinalização de acordo feita pelo secretário-geral da Confederação, Walter Feldman, após o encontro.

Incomodada com a falta de atitude da CBF em resolver o caso, a Federação do Rio perdeu a paciência no diálogo e cobrou a entidade-mãe. Em um documento de 13 páginas assinado pelo presidente Rubens Lopes, a Ferj solicitou uma resposta definitiva sobre aquela que chamou de competição pirata e alertou para possíveis punições da Fifa.

"Considerando a incompreensível e renitente resistência da CBF em proibir a realização da competição pirata proposta por uma liga que não teve sua vinculação reconhecida, mas mesmo assim insiste em dizer que promoverá a disputa independente de qualquer coisa, viemos lembrar e alertar sobre o dever desta Entidade dirigente do futebol brasileiro em manter a ordem desportiva dos termos preconizados pelo seu Estatuto e Regulamento, bem como pelo Estatuto e Regulamento da Fifa. O sistema Fifa é claro ao vetar a realização de competições promovidas por ligas que não estejam vinculadas e subordinadas a um de seus membros [artigo 18,1 da Fifa]", diz o documento enviado pela Ferj para a CBF na noite da última quinta, ao qual o UOL teve acesso.

Em caráter de urgência - citado diversas vezes no texto -,Rubens Lopes ainda pressiona o presidente interino da CBF, Coronel Nunes, a declarar os clubes da Liga impedidos de disputar as competições nacionais para as quais estiverem classificados.

Sempre reforçando que a Liga não foi reconhecida na Assembleia Geral da CBF, o documento da Ferj sinaliza diversos artigos do Estatuto da Fifa que estariam sendo violados com a liberação da disputa do torneio.

Por fim, o documento da Federação do Rio reforça que a própria CBF poderá sofrer punições da entidade máxima do futebol mundial no caso de não "brecar" o andamento da Liga.

"Agindo de forma diferente, será o Presidente quem estará quem estará descumprindo o Estatuto e sujeitando-se ao estabelecimento das eventuais sanções vinculadas a sua omissão, seja no âmbito da CBF e da própria Fifa", trouxe o documento.

O incômodo oficial da Ferj, através de um documento, representa a perda de um aliado importante da CBF para outras questões nacionais. Rubens Lopes tem sido uma das principais lideranças entre federações no período recente de turbulência da confederação que teve três presidentes em menos de um mês e meio.

Com a carta entregue na última quinta, a Ferj espera que a CBF, enfim, dê seu veredito final. Enquanto isso, a Liga segue confiando na realização do torneio que está longe de ser uma unanimidade.

Confira a tabela da rodada inicial da Primeira Liga:

27 de janeiro (quarta-feira)
19h30 - Fluminense x Atlético-PR, em Cuiabá (MT)
19h30 - Criciúma x Cruzeiro, em Criciúma (SC)
21h45 - Atlético-MG x Flamengo, em Belo Horizonte (MG)
21h45 - Internacional x Coritiba, em Porto Alegre (RS)

28 de janeiro (quinta-feira)
19h30 - América-MG x Figueirense, em Belo Horizonte (MG)
21h45 - Avaí x Grêmio, em Chapecó (SC)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos