CBF recua e impede clubes de disputarem Primeira Liga em 2016

Pedro Ivo Almeida e Rodrigo Mattos

Do UOL, no Rio de Janeiro*

  • Washington Alves/Light Press

    Presidente da Liga, Gilvan Tavares disse que não deixará de realizar torneio em 2016

    Presidente da Liga, Gilvan Tavares disse que não deixará de realizar torneio em 2016

A realização da Primeira Liga está oficialmente proibida para este ano de 2016. É o que diz a CBF em comunicado divulgado na tarde desta segunda-feira. Os clubes ouvidos pelo UOL participantes do torneio, no entanto, rechaçam recuar na "guerra" e sustentam que irão entrar em campo nas datas já estabelecidas

A "resolução da diretoria" da Confederação informou "não aprovar a solicitação para realização de qualquer competição não inserida no Calendário Nacional no ano de 2016, em vista das considerações acima apresentadas. Admitir a realização de jogos amistosos até o dia 30 de janeiro, dentro do período de pré-temporada, já com a anuência das Federações e em respeito às determinações do Estatuto do Torcedor", justificou.

Oficialmente, os clubes estariam liberados por CBF e Federações a disputarem o torneio em três datas. No entanto, com o novo comunicado, poderiam apenas realizar os jogos marcados para esta quarta-feira (27) em caráter amistoso.

O recuo da CBF, que falava em acordo com a Liga até o final da última semana, ocorre após forte pressão do presidente da Ferj, Rubens Lopes, cobrando uma posição firme da confederação diante daquela que chamou de "competição pirata".

A decisão de soltar o comunicado não referendando a realização da Liga foi tomada em encontro na CBF na tarde desta segunda. O secretário-geral da CBF, Walter Feldman, conversou com o mandatário da Ferj e líder da oposição ao torneio, Rubens Lopes, durante almoço em homenagem ao jogador Wendell Lira, premiado pela Fifa na última semana.

Procurados pela reportagem, membros da diretoria da Primeira Liga informaram que a ideia inicial é não recuar na "briga" e manter a disputa do torneio neste ano. O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, bem como diretores de Coritiba, Internacional e Atlético-PR, informou que datas e jogos serão mantidos "mesmo em caráter amistoso".

Após falar que iria manter a Liga, o presidente do Cruzeiro e da Primeira Liga, Gilvan Tavares, não demonstrou tanta confiança em novo contato telefônico. "Não está nada confirmado. Estou negociando isso agora ainda".

Questionado sobre uma possível disputa na esfera judicial em caso de realização da Liga, Walter Feldman evitou o termo e falou em acordo no futuro.

"São muitas coisas que violam estatuto e interesses dos atletas. A Copa [Primeira Liga] se insere perfeitamente nos calendários, mas não será feito às pressas agora. Não quero falar em guerra com essa proibição, mas sim numa tentativa de tempo para conversar e chegar num acordo. A Copa do Nordeste foi feita às pressas e não teve um bom início. Depois acertamos. É assim que esperamos fazer", argumentou o secretário-geral da CBF.

Confira a resolução da diretoria da CBF "RDI Nº 01/2016":

"O Presidente e a Diretoria da Confederação Brasileira de Futebol, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,
i) CONSIDERANDO a realização, no dia 27/10/2015, de Assembleia Geral Extraordinária da CBF, que, por deliberação unânime das filiadas presentes, não se opôs à filiação e vinculação da Liga à CBF, nem à inclusão de sua competição no calendário oficial do futebol brasileiro, "desde que cumpridas e respeitadas todas as normas e exigências que compõem o ordenamento jurídico desportivo, compreendendo inclusive os Estatutos da FIFA, CONMEBOL, CBF e Federações" e "desde que integralmente cumpridas as exigências e requisitos contidos no Regulamento Geral das Competições da CBF, em especial o calendário anual do futebol brasileiro, assim como os Estatutos da CBF e das Federações";
ii) CONSIDERANDO os obstáculos intransponíveis de ordem técnica e das normas constantes do ordenamento jurídico desportivo estadual, nacional e internacional, para que a competição seja realizada no ano de 2016, como a não observância do prazo regulamentar para que clubes e atletas disputem partidas, a impossibilidade legal de que uma partida seja válida por duas competições distintas, além da observância de critérios técnicos de participação, bem como o respeito ao Estatuto do Torcedor;
iii) CONSIDERANDO o interesse da CBF em harmonizar e democratizar o futebol brasileiro, pondo fim aos entraves, conflitos e antagonismos que acabaram se verificando entre os múltiplos atores de nosso futebol, visando a um relacionamento saudável entre todos eles;
iv) CONSIDERANDO o empenho da CBF em promover competições rentáveis e de altíssimo valor agregado, nos moldes da bem sucedida Copa do Nordeste, que é hoje reconhecida nacionalmente e gera recursos diversos aos clubes que a disputam.
RESOLVEM
1- Convocar todos os protagonistas envolvidos na Copa Sul-Minas-Rio, a fim de deliberar a realização da competição no calendário oficial do futebol brasileiro, a partir do ano de 2017, sem nenhuma infringência às leis, regulamentos e estatutos.
2 – Não aprovar a solicitação para realização de qualquer competição não inserida no Calendário Nacional no ano de 2016, em vista das considerações acima apresentadas.
3 – Admitir a realização de jogos amistosos até o dia 30 de janeiro, dentro do período de pré-temporada, já com a anuência das Federações e em respeito às determinações do Estatuto do Torcedor.
4- Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação no site da CBF, ficando revogadas, a partir de sua vigência, quaisquer disposições em contrário. 

Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 2016. 

Antônio Carlos Nunes de Lima
Presidente em exercício"

 

*Colaboraram Jeremias Wernek e Thiago Fernandes

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos