10 dúvidas (com respostas) sobre a Primeira Liga e o impacto do torneio

Pedro Ivo Almeida, Rodrigo Mattos e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Pedro Ivo Almeida/UOL

    Presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, selou acordo em reunião da Liga Sul-Minas-Rio

    Presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, selou acordo em reunião da Liga Sul-Minas-Rio

A temporada do futebol brasileiro deveria começar nesta quarta-feira (27) com a rodada inicial da Primeira Liga. Não se assuste. O tempo verbal é este mesmo. Por mais que os clubes envolvidos garantam o cumprimento da tabela do torneio, há um imbróglio envolvendo a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj). Ambas insistem em proibir (e não reconhecer) o torneio.

Quatro jogos marcam o que será a primeira data da Sul-Minas-Rio (Fluminense x Atlético-PR, Criciúma x Cruzeiro, Atlético-MG x Flamengo e Internacional x Coritiba). Nesta quinta-feira (28), ainda há duas partidas (América-MG x Figueirense e Avaí x Grêmio). Mas o que esperar do torneio que se inicia nesta semana e nem sabe se terá um término? O UOL Esporte prepara um guia para o torcedor saber tudo sobre a competição.

1) Haverá Liga em fevereiro?
Ainda não se sabe. A primeira e principal dúvida diz respeito à continuidade da Liga. Após a proibição da CBF, clubes e organização afirmam que vão manter a tabela original. O discurso, no entanto, ainda é cauteloso. Os times entrarão em campo nesta primeira rodada, mas ainda discutem o que fazer a partir da segunda jornada – marcada inicialmente para os dias 17 e 18 de fevereiro.

2) As consequências da manutenção da Liga
Por parte da CBF, a maior ameaça aos clubes da Primeira Liga pode ser a desfiliação. Pelo estatuto da CBF, eles são considerados filiados especiais quando compõem a Série A. E a presidência pode estabelecer a sua desfiliação em caráter de urgência. Pois bem, se a CBF tirar essa filiação, os clubes ficariam impedidos de disputar o Brasileiro e a Copa do Brasil, além da possibilidade de ter os contratos de seus jogadores invalidados, pois estes são registrados na confederação.

Dentro da Liga, há um entendimento de que não adianta a CBF levar a questão para a Fifa. Isso porque entende que a federação internacional não costuma atuar em questões internas dos países, deixando isso a cargo da própria associação nacional. Caberia, portanto, à CBF tomar alguma medida contra os clubes.

Pela Lei Pelé, as ligas têm o direito a se organizarem de forma autônoma sem intervenção de outras entidades de administração. É nisso que a liga baseia a sua legalidade.

3) Será transmitida?
A SporTV e a Rede Globo de Televisão transmitirão as partidas. Apesar de celebrarem os acordos, clubes ainda discutem alguns pontos. Gilvan de Pinho Tavares, presidente do Cruzeiro e da Liga, ainda conversava detalhes com a Globo a menos de 48 horas da estreia. O mandatário foi o responsável por comercializar os direitos de transmissão do torneio por R$ 5 milhões. O impasse sobre a realização da mesma gera preocupação no parceiro.
 

4) Por que os paulistas estão fora?
Dentre os principais centros futebolísticos do país, São Paulo é o único que não terá um representante na Primeira Liga. Os clubes do estado até cogitaram a participação, mas a Federação Paulista de Futebol (FPF) incrementou os valores pagos às principais agremiações com o intuito de valorizar o Campeonato Paulista e evitar que houvesse uma briga semelhante à que acontece na Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), em que Flamengo e Fluminense negligenciam o Campeonato Carioca em favor da Primeira Liga.

5) Dá vaga para outro torneio?
Como ainda não é reconhecida e tratada como amistosa pela CBF, a competição não dará vaga para um torneio oficial. Portanto, quem vencer o campeonato terá que se contentar "apenas" em levar o troféu para a sua galeria.

6) Datas conflitantes
O Gre-Nal, em 6 de março, na Arena Grêmio, vai valer por duas competições (Campeonato Gaúcho e Primeira Liga). A decisão conta com o aval da Federação Gaúcha de Futebol. Mas para evitar confusão, as questões que envolvem transmissão, arbitragem e suspensões de atletas vão valer do Campeonato Gaúcho.

Walter Feldman, secretário geral da CBF, reprova o fato e critica a tabela da competição: "O que não pode é se abrir a perspectiva, da terceira, quarta ou quinta partidas. E aí é a realização de um torneio completo. Não que ele não possa ser feito, é porque não existe a possibilidade de não conflito com a agenda já estabelecida pelo calendário nacional. Não teria sentido, por exemplo, um Gre-Nal valendo por duas competições. Não teria sentido um final com um clube carioca na mesma data com rodada aqui no Rio", afirmou à Rádio Itatiaia.

No entanto, o que Feldman não sabia é que a decisão de fazer o Gre-Nal do Campeonato Gaúcho valer também pela Primeira Liga partiu tem precedente dentro da própria CBF. Em 1993, sem datas para realização da Recopa (duelo entre vencedores da Libertadores e da Supercopa do ano anterior), a Conmebol e a CBF concordaram que o duelo entre São Paulo e Cruzeiro, marcado para o dia 25 de setembro, poderia valer por duas competições.

7) Quanto receberá o vencedor?
A premiação ainda é uma incógnita na Primeira Liga. Os direitos de transmissão foram adquiridos pela Rede Globo de Televisão por R$ 5 milhões. Porém, o valor não será repassado apenas ao campeão, mas, sim, dividido entre os participantes. A diretoria do torneio deve divulgar os valores nos próximos dias, conforme informado pelo presidente Gilvan de Pinho Tavares. O outro parceiro do torneio é a Penalty. A empresa, contudo, se limita a oferecer materiais esportivos.

8) Qual é o pensamento dos técnicos e atletas?
A Liga tem gerado pensamentos distintos, seja de jogadores, técnicos ou dirigentes. A opinião mais marcante até o momento foi do meia-atacante D'Alessandro. Há uma semana, ele se posicionou de forma contrária à realização do torneio: "Não temos muito tempo, tem jogo sempre. Agora, com essa liga (Primeira), que cai, não cai... Tomara que caia. Não dá para jogar a cada dois dias. Imagina com a Liga? Tomara que caia", disse.

A opinião do camisa 10 do Internacional, porém, foi rebatida pela diretoria. Posteriormente, ele veio a público para se desculpar. Se, por um lado, há quem seja contra, por outro, existem defensores. O técnico do Atlético, Diego Aguirre, enaltece o torneio:

"É um grande torneio por tudo que envolve, todas as equipes que disputam. O Atlético tem que entrar para ganhar tudo, isso é o ideal, por sua camisa, clube grande e com tantos jogadores bons. Tem que tentar ganhar e valorizar a Primeira Liga também. É um grande passo para o futebol brasileiro".

9) Materiais esportivos
Ficou definido, no fim de semana passado, que a Penalty, empresa brasileira que produz uniformes para alguns clubes do Brasil, como é o caso do Cruzeiro, será a fornecedora de materiais esportivos da competição. O acordo inclui as bolas que serão utilizadas.

10) Arbitragem
Pela primeira vez na história do futebol brasileiro, os árbitros foram escolhidos em audiência pública, com transmissão ao vivo pela internet, algo até então inédito. A votação ocorreu na segunda-feira (25), em São José (SC), na sede da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF), uma das parceiras da Liga.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos