Novo passo da OAS na Justiça pode ajudar Grêmio a definir compra da Arena

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Wesley Santos/Drone Service Brasil/Divulgação

    Arena do Grêmio deve ter gestão comprada pelo clube ainda neste ano

    Arena do Grêmio deve ter gestão comprada pelo clube ainda neste ano

Um próximo passo para consolidação da compra da gestão da Arena pelo Grêmio pode ter sido dado nesta quinta-feira (28). A OAS teve homologada sua recuperação judicial, segundo assessoria de imprensa da construtora. Na prática, isso autoriza a movimentação de compra e venda de ativos do grupo, entre eles o direito de superfície da Arena do Grêmio. 

O juiz Daniel Carnio Costa, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Tribunal de Justiça de São Paulo, homologou na quarta-feira o plano de recuperação judicial da OAS, aprovado pelos credores do grupo em dezembro passado. 
 
No plano de ações da empresa consta a venda de ativos seja por leilão ou acordos previamente firmados. Entre eles, o acerto para venda da gestão da Arena do Grêmio, encerrando a parceria que iniciou-se na construção do estádio e teria duração de 20 anos. 
 
De acordo com a assessoria de imprensa da empresa, a dívida da OAS bate em R$ 8 bilhões e tem prazo de pagamento através da recuperação de 25 anos. 
 
O Grêmio, com isso, pode ter agilizado o acordo já firmado para compra da totalidade do estádio. No início deste ano, o presidente Romildo Bolzan Júnior mantinha o discurso passado, evitando prazos para definir o acerto. Segundo ele, quem precisava dar os próximos passos seria a empresa, resolvendo suas pendências com a Justiça. 
 
"A negociação estacionou, mas o Grêmio está atento a tudo que envolve este tema. É uma operação que custará ao clube, mas é a única forma de gerar receita nova para os cofres do clube. Atualmente, pagamos para jogar lá. Pagamos R$ 1,5 milhão", afirmou o mandatário.
 
O clube chegou a planejar oficializar a compra da gestão da Arena nos festejos de aniversário em setembro de 2015. Porém, um recuo no negócio evitou que os contratos fossem assinados imediatamente. 
 
A Justiça homologando a recuperação judicial da empresa pode, finalmente, acelerar o processo tratado como um dos principais pilares para saúde financeira do Grêmio. 
 
No negócio de compra da gestão da Arena, o Grêmio pagará R$ 2 milhões por mês durante seis anos para a construtora. O valor, após este período, cai gradativamente e acaba em 20 anos. 
 
O clube, ainda, entregará o estádio Olímpico e assumirá o restante da dívida da OAS com os bancos que fizeram financiamento para construção do estádio. Por outro lado, terá autonomia para negociar salas, patrocínios e passará a receber a renda dos jogos em casa, algo que não acontece hoje em dia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos