Liga Sul-Americana tem uma grande meta: entrar no comitê da Conmebol

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • AFP PHOTO / Juan Mabromata

    Movimento de clubes da América do Sul não pretende organizar torneio paralelo

    Movimento de clubes da América do Sul não pretende organizar torneio paralelo

A Primeira Liga tem uma irmã que fala espanhol. Criada no começo de janeiro, a Liga Sul-Americana reúne 18 grandes clubes do continente e volta a se encontrar nesta quarta-feira (03), em Buenos Aires. Com acréscimo de times brasileiros, a organização pretende montar seu estatuto e traçar planos. O mais importante deles visa buscar vaga no comitê-executivo da Conmebol, para influenciar diretamente em cotas de TV e regulamentos de competições.

Ao contrário da Primeira Liga, que encontrou resistência na CBF e teve uma queda de braço com a Ferj, a nova entidade sul-americana já nasceu próxima da Conmebol – se aproveitando da fragilidade da entidade.

"Não é algo contra a Conmebol, mas sim em favor dos clubes. Nos encontramos com eles e iniciamos a discussão sobre uma reforma geral na relação. Fomos muito bem recebidos", diz Juan Pedro Damiani, presidente do Peñarol e um dos organizadores da reunião de fundação da Liga.

O principal objetivo é conseguir uma vaga no comitê-executivo da Conmebol. Lá, um representante dos clubes poderá deliberar diretamente sobre contratos de direitos de transmissão e derrubar o pagamento de 10% dos ingressos à confederação.

No encontro em Buenos Aires, os clubes argentinos e uruguaios vão propor debate sobre forma de escolha de um representante e duração do mandato. A força política atribuída ao Boca Juniors junto à Conmebol será tratada com cuidado.

"A presidência da Liga é o menos importante. Todos falam do Boca, mas ele foi eliminado da última Libertadores, não foi? O vital é reunir os clubes, algo que nunca existiu", comenta o dirigente do Peñarol. "Tudo tem seu tempo, não há imposições. Temos negociações. Queremos estar mais perto de questões que nos influenciam. Não queremos tratar de Copa América e coisa assim, mas do nosso dia a dia. Nós pagamos os jogadores, os estádios... E tudo vai para TV", completa.

A relação totalmente distinta em comparação com o cenário da Primeira Liga, no Brasil, também traz a reboque outra diferença: nenhuma chance de criação de um campeonato independente. No ano passado, um grupo de empresários chegou a fazer a propor uma Champions League das Américas, mas a ideia nunca mais voltou à tona. E também não está na pauta da Liga gringa.

"Hoje, não pensamos nisso (competição independente). Temos força, somos clubes tradicionais e se não entrarmos em campo não existe Libertadores. Mas agora, não pensamos em nada disso", afirma Damiani. "A Libertadores tem história, mas a cada dia o futebol é mais espetáculo. É preciso conversar sobre isso e sobre a participação de todos nesse cenário", acrescenta.

Brasileiros convidados

Grêmio, Internacional e São Paulo são os brasileiros já confirmados na reunião em Buenos Aires. Para o tricolor gaúcho, a ideia ainda é muito incipiente e a anistia divulgada pela Conmebol na terça-feira não foi um sinal de evolução.

"Estou indo mais para acompanhar. O que eu espero? Não tem como esperar nada. Fiquei decepcionado com a decisão da Conmebol e se a ideia é criar uma liga, é preciso deixar de lado muitas coisas. Muitos vícios antigos. Não conheço o cenário político e vou me colocar a par de tudo isso", afirmou Romildo Bolzan Jr, presidente do Grêmio. O Inter enviará seu vice-presidente jurídico, Giovani Gazen, por entender que o encontro terá caráter técnico na assinatura de estatuto ou protocolo de colaboração.

Além dos times brasileiros, a Liga Sul-Americana ganhará adesão de equipes da Venezuela e Colômbia na reunião desta quarta-feira. Ainda não há data para que a Conmebol recebe novamente o grupo, mas ela já sabe que tem uma representante da família de associações de clubes batendo na porta.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos