Vida de Leandro Almeida no Palmeiras vai de xodó de técnico a vilão da vez

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

O vilão da vez no Palmeiras tem nome e sobrenome: Leandro Almeida. Depois da falha que resultou no segundo gol do São Bento na última quinta-feira (5), o zagueiro passou a ser hostilizado no estádio e fora dele. Mas nem sempre foi assim.

PEDIDO DO COMANDANTE

A contratação de Leandro Almeida era um pedido expresso do 'chefe', Marcelo Oliveira. A chegada do zagueiro, aliás, foi acelerada desde o dia em que o novo treinador assinou contrato com a equipe paulista. Ainda na reunião que sacramentou o negócio, Marcelo reforçou o pedido à diretoria palmeirense que gostaria muito de contar com ele, transformando o zagueiro em prioridade para Alexandre Mattos e sua turma.

Por mais de uma vez, ainda quando assinava seu vínculo, o treinador reforçou: "quero muito contar com ele, faz parte dos planos e será ótima peça para o elenco". 

O ESFORÇO POR UM SONHO

A Crefisa foi acionada e fez o desejo de Marcelo se tornar realidade. Contratado no dia 26 de junho de 2015, menos de 10 dias após a chegada do treinador, o atleta desembarcou em São Paulo após pagamento de R$ 3 milhões ao Coritiba. Ele chegou à capital paulista com tratamento especial e um contrato de quatro anos.

O sonho, no entanto, viraria rapidamente um pesadelo. Leandro não emplacou e ficou longe de repetir o desempenho que teve com o treinador em passagens anteriores.

INÍCIO RUIM

Em agosto, o jogador falhou de maneira bizarra contra o Cruzeiro, no Mineirão. O atleta praticamente tropeçou em frente à bola, deixando o adversário livre para fazer o cruzamento que terminaria em gol. No jogo seguinte, viu o Coritiba vencer o jogo com um gol que saiu após lançamento nas suas costas. Em setembro, foi expulso e apontado como principal responsável pela derrota para o Internacional.

O suporte de Marcelo, então, passou a ser colocado em dúvida. Durante a janela de transferência, seu nome chegou a ser vinculado em possíveis empréstimos, mas nenhuma negociação se efetivou. Na primeira coletiva do ano, chegou a emocionar os torcedores ao lembrar o sonho do pai em vê-lo com a camisa alviverde

OS CANDIDATOS A SUBSTITUTOS

Com a chegada de Edu Dracena, Leandro teria menos chance, mas a lesão do ex-corintiano fez o técnico escalá-lo. Já no segundo jogo oficial da temporada, voltou a falhar e viu o treinador, que antes era só elogios, criticá-lo publicamente e avisar que ele não fazia mais parte dos planos para a equipe titular.

Agora, o treinador deve dar chances a Roger Carvalho e Thiago Martins. Nathan, criado na base e xodó da torcida, ainda não deve receber uma chance. A tendência, no entanto, é que Edu Dracena forme a zaga titular ao lado de Vitor Hugo daqui para frente, especialmente na estreia da Libertadores. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos