Ex-Palmeiras, irmão de Valdivia largou o futebol para disputar reality show

Juliana Alencar

Do UOL, em São Paulo

A bem da verdade, Claudio nunca se destacou no futebol como o irmão mais famoso, Jorge Valdivia. Mas o zagueiro, que teve uma breve passagem pelo Palmeiras em 2008, costuma atribuir a oportunidade de seguir uma carreira na TV a interrupção precoce da sua trajetória nos gramados. 

Ele tinha 24 anos quando foi convidado pelo Canal 13, principal emissora de TV do Chile, para ser um dos participantes do reality show "Año Cero", uma espécie de "No Limite" de lá. "Era um reality de sobrevivência. Foi por esse motivo que eu abandonei o futebol", explica o ex-atleta, por telefone, sem dar muitos detalhes sobre como se deu a decisão de desistir do esporte.

Aos 28 anos, Claudio tem boas lembranças de sua passagem pelo futebol brasileiro, ainda que não tenha conseguido mostrar a que veio. Foram só seis meses no Grêmio Barueri - primeiro clube dele no país - e mais sete no Palmeiras, segundo as contas do atleta. Na equipe alviverde, nem chegou a ser aproveitado profissionalmente. Só teve chances no time B. Mesmo assim, elogia a temporada no país. 

Arquivo pessoal
Claudio Valdivia na escolinha de futebol no Chile: pós-aposentadoria

"Foi uma experiência linda jogar futebol no Brasil. O nível é mais alto do que o do Chile", analisa ele, que foi trazido ao futebol brasileiro pouco depois do irmão. No Chile, ele tinha jogado na base do Audax Italiano, sétima força do futebol de lá. "Jogava lá desde os 12 anos", relembra. 

Valdivia foi revelado no Colo-Colo. Foi no Palmeiras o único clube no qual os irmãos conviveram nos bastidores. "Chegamos a morar juntos", explica.  

Virou professor em escolinha de futebol

Quase cinco anos depois da estreia na TV, Claudio Valdivia, no entanto, voltou a ganhar a vida com o futebol.  O ex-jogador agora trabalha na formação de futuros atletas. Desde 2014, ele é dono de uma das escolinhas de futebol para crianças do Colo-Colo em Chicureo, na região metropolitana de Santiago. Hoje, se dedica exclusivamente ao negócio.

"Eu gosto de trabalhar com crianças. Poder ensinar e educar é o que me motiva", afirma ele, que perdeu a conta de quantas crianças já passaram por lá. "Elas chegam com quatro anos,  muitas vem em busca do sonho (de virar um grande jogador)". 

Um dos que passou pelo local é Alonso, 14 anos, sobrinho do ídolo do Palmeiras. O garoto é uma das apostas do Audax, mesmo time que revelou Claudio. "Ele é volante. Esteve treinando conosco por seis meses e logo conseguimos transferi-lo para o Audax", diz. "Está seguindo os meus passos". Mas é a trajetória de Valdivia que inspira as crianças que busca a escolinha. Imagens do atleta estampam o material de publicidade. 

Valdivia não está envolvido diretamente no negócio. Mas ele próprio costuma visitar a escolinha quando viaja ao Chile. "Ele treina com as crianças, fala sobre a infância e os times onde já jogou, tira fotos...", enumera.  "E leva o filho dele para treinar".

Arquivo pessoal
Valdivia entre as crianças da escolinha do Colo Colo

Desde que Valdivia se mudou para os Emirados Árabes, onde defende o Al-Whada, o filho dele, Jorgito, de 7 anos, está treinando numa escolinha do Manchester City. Claudio conta que a família prefere não colocar muita pressão sobre o garoto. 

"Não sabemos se será um grande jogador. É uma criança ainda", minimiza ele, que jura não ter se sentido pressionado com as comparações com o irmão craque quando jogava profissionalmente: "De jeito nenhum. Jogávamos em posições diferentes".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos