Zé Roberto prevê crescimento do Palmeiras e admite aposentar no fim do ano

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

Dois empates seguidos no Campeonato Paulista bastaram para que as críticas ao Palmeiras surgissem. Nesta quinta-feira (11), um dia após o empate por 0 a 0 com o Oeste, Zé Roberto disse que elas são normais. O lateral esquerdo também anunciou que irá abandonar os gramados ao fim da temporada.

"Sei que nossa vida é feita de escolhas e metas. A maioria foi alcançada. Ano passado, se eu tivesse decidido parara de jogar ia parar muito feliz por tudo. Mas decidi jogar mais esse ano pelos desafios. Queria até aproveitar essa oportunidade para deixar uma coisa clara: será meu último ano", afirmou o jogador.

O atleta, que irá completar 42 anos em julho, ainda admitiu que poderia atuar até os 50 anos, mas a quantidade de partidas na temporada o fez pensar melhor.

"Eu brinquei aquela vez que poderia ir até aos 50 anos. Poderia ir com certeza, porque sempre me cuidei, estou bem. Mas o calendário aqui no Brasil fez com que eu pensasse, nas férias, que eu fosse jogar só esse ano", frisou.

Zé Roberto citou a pouca convivência com o filho e disse que tomou a decisão durante uma conversa com a comissão técnica. Ele ainda apontou que o culpado é o calendário do futebol brasileiro.

"Ano que vem quero curtir um pouco e ter mais tempo com a minha família. Tenho um filho de 16 anos que se forma em dois anos e quer fazer faculdade fora. Tive uma conversa clara com a comissão que pelo calendário não seria possível jogar todos os jogos. Não sou máquina. Nem o Batman ia aguentar o calendário brasileiro", admitiu.

Sobre o atual momento do Palmeiras, Zé Roberto ainda disse entender o sentimento do torcedor, que espera resultados já no começo da temporada. Para ele, o time irá crescer nos próximos jogos.

"A crítica é normal. Eu me coloco na situação dos torcedores: vou sempre para ver gol e a vitória. Quando não vem o resultado, é muito normal. Temos um coisa muito certa. A gente ficou devendo. Não foi um jogo ideal, da forma que queríamos, mas não faltou luta, disposição. Sabemos que início de temporada é assim", disse.
 
Para o lateral, o time está em um processo de entrosamento. Isso será possível, segundo ele, porque poucos jogadores saíram da equipe e ainda outros atletas foram contratados.
 
"Jogamos cinco jogos, é muito pouco para aquilo que temos em mente para fazer esse ano. A expectativa é muito grande, a base foi mantida e houve contratações pontuais. A gente sabe da responsabilidade", finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos