Tite alcança 350 jogos no Corinthians e presidente lembra bronca do técnico

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Dassler Marques/UOL

    Técnico foi homenageado com placa

    Técnico foi homenageado com placa

Tite recebeu uma placa comemorativa porque completará 350 jogos pelo Corinthians, no próximo domingo, contra o São Paulo.  O objeto foi entregue pelo presidente Roberto de Andrade, que recordou uma passagem marcante ao lado do treinador. 

O episódio citado por Roberto se passou na final da Copa Libertadores 2012, nos instantes finais da partida contra o Boca Juniors-ARG. Antes do apito final, o então presidente Mário Gobbi e ele, que era diretor de futebol, começaram a celebrar no banco de reservas. E foi Tite que entrou em ação. 

"'Falta um minuto, espera o jogo acabar', ele disse. Estou falando com toda simplicidade, mas foi uma bronca com palavrão e tudo", explicou Roberto de Andrade ao lado do treinador, que comentou o episódio. 

"Eu não vi quem tava atrás. Mas li o livro do Ferguson na final da Liga dos Campeões (de 1999) e ele se levantou para dar parabéns ao Bayern aos 42 minutos, porque estava vencendo. Ele levantou, foi cordial, e depois saíram dois gols do Manchester. Fiquei com aquilo na minha cabeça. Estou no jogo. É 45 minutos, 46 minutos, 47 minutos, não vi quem estava trás. Eu disse 'parabéns p... nenhuma. Mas quando virei, falei assim, vi o presidente, o Roberto. 'Vamos esperar um pouquinho", brincou Tite, com uma homenagem ao chefe. 

"Tenho a lembrança dele de vestiário. Eu estava com peito aberto e esse cara bancou a peteca, me trouxe e disse 'fica aqui do meu lado'. Foi um momento", recordou sem dar detalhes. 

Ainda em clima de homenagens, Roberto de Andrade exaltou a capacidade do treinador em administrar o elenco. 

"Ele é muito humano, é respeitado por todos. Isso é um dos segredos que sempre aprendi. Ninguém dá um feedback melhor que o atleta sobre o treinador. Ninguém fala melhor porque convive diretamente, tem conflitos entre atleta e treinador. Todos nós passamos isso aqui. O Corinthians não é diferente de nenhum clube. O atleta que está fora quer jogar, e os titulares não querem sair. Isso gera conflito. Quando tem um elenco qualificado como a gente costuma ter, tem a administração do conflito e se conhece as pessoas. Isso ele faz com maestria inigualável. Ninguém faz melhor que ele". 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos