Instável e potente no ataque: Flu tem prova de fogo com clássicos à vista

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

    Fred, Henrique e Diego Souza: Fluminense ainda busca um equilíbrio

    Fred, Henrique e Diego Souza: Fluminense ainda busca um equilíbrio

Ataque mais positivo do Campeonato Carioca, com 12 gols em quatro jogos, o Fluminense ainda busca um equilíbrio no restante da equipe para acabar com a instabilidade que marca o Tricolor neste início temporada. Apenas em quarto lugar em seu grupo no Estadual, com um desempenho ruim no Floripa Cup e com uma derrota na estreia na Primeira Liga, o time terá sua primeira grande prova de fogo no ano com a sequência de clássicos que terá pela frente: o regional, nesta quarta, contra o Cruzeiro, e depois diante dos tradicionais rivais do estado, Flamengo e Botafogo.

Para o lateral direito Wellington Silva, embora sejam adversários de peso, o estilo de jogo deles poderá facilitar ao Fluminense.

"Agora teremos jogos de grande contra grande. Às vezes, contra pequeno, é mais difícil, afinal, ficam os 11 atrás. Vamos ver como vai ser a nossa capacidade nesses confrontos. Estamos treinados, precisamos da vitória. A cabeça está no lugar, tem de calibrar os pés para fazer o que o professor pede", declarou.

Na avaliação do meia Diego Souza, o principal problema que o Tricolor enfrentará pela frente será a maratona de viagens, já que após o compromisso com o Cruzeiro em Belo Horizonte (MG), nesta quarta, pela Primeira Liga, o elenco irá para Brasília (DF), onde no domingo encara o Flamengo no estádio Mané Garrincha. O local do clássico com o Botafogo, na outra semana, ainda não está definido.

"É difícil. Vamos fazer o que a gente vem fazendo. Trabalhar e descansar. Fazer o trabalho de recuperação. Tem essa dificuldade de viagens e de concentração, mas temos de superar", destacou.

Em relação a instabilidade da defesa, Wellington Silva acredita que a tendência é a de melhorar:

"Tem de melhorar o entrosamento lá atrás. Henrique entrou agora. Estamos conversando com ele, fez grande partida. O entrosamento e a postura têm de ser o diferencial. A maior parte dos jogadores já estava aqui no ano passado. Não podemos tomar gol. Na frente, sempre vamos marcar."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos