Artista critica ação de torcida de Santos e propõe refazer Robinho em mural

Juliana Alencar

Do UOL, em São Paulo

  • Marcello De Vico/UOL

Responsável pelos grafites que retratam ídolos santistas no CT do clube, Paulo Consentino vai defender em uma reunião nesta sexta-feira, 19, refazer a imagem de Robinho nos muros do local. O desenho do atacante foi vandalizado por torcedores após ele rejeitar a proposta de retorno ao Santos e fechar com o Atlético-MG. 

"Robinho é personagem da história do Santos e não pode ser esquecido ou apagado", justifica ele, que criticou a ação dos torcedores. "Robinho é profissional, saiu do Santos faz tempo. Não entendo essa reação de alguns torcedores. Como artista, fico muito chateado. É um protesto midiático, quem fez isto fez para aparecer, ganhar cinco minutos de atenção na internet. Não afeta o jogador e só penaliza o clube". O Santos aguarda a conversa com o artista para definir o que fará com o mural.

O encontro de Consentino com a diretoria do Santos já estava marcado antes mesmo do episódio. A ideia era desenvolver um plano de preservação do mural, que já havia sido alvo de protestos anteriores da torcida. A obra, que ocupa 3 mil metros quadrados, havia sido feita pelo artista como um presente pelo centenário do clube.  

"A diretoria me procurou depois da pichação das imagens de Edu Dracena e Arouca", contextualiza. O artista não chegou a refazer nenhuma das imagens apagadas. Antes disso, torcedores também já haviam danificado o retrato de Paulo Henrique Ganso, após a saída dele para o São Paulo, em 2012.  

Consentino critica a reação da diretoria do clube na época, que preferiu não denunciar os autores. "A primeira vez resultou na prisão em flagrante dos pichadores. Mas a diretoria 'passou o pano' e não deu andamento nas punições administrativas cabíveis, já que os acusados eram sócios. Muito menos na queixa policial", recorda-se. "Se tivesse havido punição naquela vez, quem sabe o mural estaria mais seguro hoje".  

Reprodução

Santista e torcedor do clube, Consentino hoje vive em Barcelona, onde toca projetos que envolvem arte e futebol. A ida dele para a Espanha acabou o colocando em contato com astros do time catalão. Além de Neymar, que conhece desde o tempo de base no Santos, o artista já fez grafites de Lionel Messi e Luis Suárez, em seus respectivos países.

"O mais recente deles foi o do Suárez na escola que ele estudou", recorda-se ele, que também assina o mural do aeroporto de Congonhas com ídolos do futebol brasileiro. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos