Torcida do São Paulo protesta contra Michel Bastos e diretoria

Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

A torcida organizada Independente, do São Paulo, cumpriu o que prometeu e fez o protesto contra membros da diretoria e alguns jogadores do elenco tricolor, nesta domingo (21), no Estádio do Pacaembu, antes do confronto contra o Rio Claro, válido pelo Campeonato Paulista.

Um dos principais alvos do protesto, o meia Michel Bastos, foi representado por um sósia com uma garrafa de cerveja na mão e uma camisa escrito "Migué". Uma faixa xingando o meio-campista e exaltando o uruguaio Lugano também fez parte das críticas ao jogador. Michel Bastos não foi relacionado para o jogo deste domingo, por uma decisão da comissão técnica. De acordo com apuração do UOL Esporte, o motivo não seria desgaste físico, e sim preservar o jogador das críticas que vem recebendo. 

Assim como estava previsto, dois dirigentes tricolores também foram alvos do protesto da Independente: o vice-presidente de futebol. Ataíde Gil Guerreiro, e o diretor executivo de futebol, Gustavo de Oliveira, filho de Sócrates e sobrinho de Raí. Além de alguns membros da torcida se fantasiarem com cartolas e camisas pretas com a inscrição mafioso, faixas criticando o salário de Gustavo e as promessas feitas por Ataíde foram exibidas pela organizada.

O meia Paulo Henrique Ganso também ganhou uma faixa, que misturou palavras de incentivo e cobrança. "Ganso, confiamos e acreditamos em você. Vamos acordar", dizia a mensagem.

O protesto seguiu até o Portão 23, onde o ônibus da equipe chega e fica estacionado durante a partida, que acontece às 17h. Os jogadores tricolores, porém, chegaram antes dos torcedores que saíram da Praça Charles Miller em direção ao local. Com isso, foi evitada uma possível confusão. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos