Zero hambúrguer, treinos extras e broncas de Durval fizeram André renascer

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

    André sorri no Corinthians: nova oportunidade na carreira

    André sorri no Corinthians: nova oportunidade na carreira

"O Durval conhecia ele do Santos. Quando chegou, pegou pelo pescoço e disse 'aqui vai jogar'". A frase dita em tom de brincadeira por Edvaldo Tacão, auxiliar de preparação física do Sport, ilustra como o elenco recebeu o agora atacante corintiano André.

Desacreditado por passagens ruins por Dínamo de Kiev-UCR, Bordeaux-FRA, Atlético-MG (duas vezes), Santos e Vasco, ele encontrou na Ilha do Retiro o local ideal para dar a volta por cima. O que espera confirmar com a camisa do Corinthians em 2016: neste domingo, há duelo com a Ferroviária em Araraquara.

Um dos principais responsáveis pela recuperação de André é Eduardo Baptista, hoje treinador do Fluminense. "O Eduardo falou com ele: estão me malhando por te trazer, mas você precisa provar que estou certo", relata Luis Fernando Goulart, então preparador do Sport, hoje no Flu. "O Durval, o Diego Souza, o Wendel, todos ajudaram muito", explica. 

Mas foi principalmente com atenção à alimentação e muita entrega aos treinamentos que o atacante se reaproximou do melhor nível de sua carreira. Em 2010, ao lado de Neymar e PH Ganso, anotou 26 gols com a camisa do Santos. O trabalho realizado no Sport envolveu preparador físico, fisiologista e nutricionista. 

André, que abusava do consumo de hambúrguer, passou a se alimentar mais no clube. Normalmente, duas das três principais refeições diárias do elenco do Sport são feitas no próprio centro de treinamento. Em dezembro, para a Folha de S. Paulo, ele revelou que havia se tornado um consumidor frequente de saladas.

"O André aceitou todas as nossas propostas de trabalho no Sport. Foi uma recuperação muito dele. Fizemos trabalhos mais intensos em campo com o Eduardo (Baptista) em que ele procurou se doar. Nós buscamos diminuir um pouco o peso dele e principalmente o aumento do nível de força. Depois transferência de capacidades como velocidade e agilidade", detalha Luis Fernando. "Ele já vinha nesse caminho, disposto, e fizemos pequenas alterações".

Ainda membro da comissão técnica que hoje é liderada por Falcão, Edvaldo lembra de uma virtude de André e que muitas vezes jogadores com seu currículo não têm ao chegar para clubes fora das regiões Sul e Sudeste. "Mesmo sendo um atleta de badalação, ele viu a força da torcida e o acolhimento de todos os setores do clube. Veio disposto a resgatar o que foi perdido, sabia da importância disso para voltar ao mercado". 

O Sport fez proposta interessante do ponto de vista financeiro, mas não conseguiu equiparar com os números apresentados pelo Corinthians. André assinou por quatro temporadas após um longa negociação com o Atlético-MG para que rescindisse contrato. À comissão técnica dirigida por Tite, a parte técnica do jogador agrada bastante.

Ainda sem Luciano, em fase final de recuperação, André é a única opção de ofício para a camisa 9. Acionado na estreia da Copa Libertadores, deverá atuar neste domingo em Araraquara para tentar provar que, de fato, ainda pode ser um jogador decisivo. 

O Corinthians entrará em campo com Cássio; Fagner, Vilson, Yago e Uendel; Bruno Henrique; Ángel Romero, Maycon, Rodriguinho e Lucca; Danilo. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos