Eduardo Baptista é alvo de briga politica, mas Flu aposta em continuidade

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Nelson Perez / Site oficial do Fluminense

As eleições no Fluminense ocorrerão apenas na segunda quinzena de novembro, mas os bastidores já estão fervendo. E quem tem sofrido com isso é o técnico Eduardo Baptista. Membros de grupos políticos da oposição não estão nada satisfeitos com o desempenho da equipe neste início de temporada e correram para as redes sociais para trabalhar pela queda do treinador. Apesar da pressão, a cúpula do futebol mantém a aposta no comandante mesmo sabendo que os resultados precisam melhorar.

Para o Fluminense, Eduardo Baptista é um dos principais nomes da nova safra de treinadores brasileiros e a contratação foi algo muito bem pensado ainda em 2015 com o objetivo de criar uma parceria a longo prazo. Os primeiros meses de trabalho não foram dos melhores e a esperança de um 2016 melhor existia. Nem mesmo uma derrota para o Flamengo, o maior rival, muda esse quadro.

Após uma pré-temporada nos Estados Unidos e grandes contratações no mercado da bola, a expectativa aumentou ainda mais. Verdade seja dita, os resultados até o momento não são satisfatórios. Contando amistosos da pré-temporada, o treinador soma nove jogos, com apenas três vitórias, dois empates e quatro derrotas.

Apesar do futebol brasileiro ser muito baseado em resultados, o Fluminense tenta resistir a isso e aposta na continuidade de Eduardo Baptista. Acredita que o trabalho tem sido bem feito, apesar dos desfechso das partidas não serem nem sempre os esperados. O desejo é aguardar por uma resposta positiva do grupo ainda no Campeonato Carioca.

Limite pode ser eliminação

Evidentemente, tudo tem um limite. A diretoria, por exemplo, sequer cogita não se classificar para a segunda fase do Estadual – avançam os quatro melhores de cada grupo e o Tricolor é justamente o 4º. Caso esse objetivo não seja conquistado, aí sim o técnico Eduardo Baptista estará em apuros. A realidade é que a diretoria sequer cogita essa possibilidade.

"Se fala muito, mas eu nem escuto. O Fluminense é meu prato de comida. Pelo que falam, eu já tinha até assinado com a Ponte Preta. É preciso ter mais responsabilidade. Já é uma pressão. Tem uma multa grande para eu sair do Fluminense, nem me interessa. Sou humilde e trabalhador, e meu foco está no Fluminense. Estou feliz, vejo evolução, mas ainda está longe do que a gente quer, um Fluminense equilibrado e com esse espírito", disse Eduardo Baptista após a vitória sobre o Cruzeiro, na última quarta em jogo da Primeira Liga.

Com Eduardo Baptista, o Fluminense volta a campo nesta quarta-feira, quando medirá forças com o Botafogo, no Espírito Santo. O Alvinegro está com 100% de aproveitamento e em situação confortável na liderança do Grupo B com 15 pontos. Já o Tricolor, acumula 7 pontos na 4ª posição do Grupo A.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos