Após entrave, Conmebol apoiará em peso Infantino para presidente da Fifa

Do UOL, em São Paulo

  • EFE/Cyril Zingaro

Depois de horas de reunião, a Conmebol decidiu apoiar Gianni Infantino, secretário-geral da UEFA, nas eleições para a presidência da Fifa. A decisão foi tomada após Argentina e Brasil terem se colocado contrários à decisão.

"Vamos apoiar Infantino. Todos os 10 (países)", confirmou Fernando Sarney, membro do comitê executivo da Fifa ao "La Nación".

Segundo a publicação, o brasileiro era o principal opositor ao apoio a Infantino. O apoio de Sarney seria para o xeque do Bahrein Salman Bin Ebrahim Al-Khalifa, presidente da Confederação Asiática, que aparece como favorito no pleito.

O "La Nación" afirma que Salman Bin Ebrahim Al-Khalifa trabalhou para angariar votos vindos da Conmebol. O xeque teria enviado dois emissários ao hotel em que os dirigentes estão hospedados em Zurique, na Suíça, para tentar reverter a situação.

A expectativa da Conmebol é que com a vitória de Infantino, o número de participantes na Copa do Mundo aumente de quatro para cinco diretos e um disputando a repescagem. O suíço tem um projeto para fazer com que o Mundial seja disputado por 40 equipes, ao invés dos 32 de agora.

A eleição para decidir o substituto de Joseph Blatter no comando da entidade máxima do futebol acontecerá nesta sexta-feira, 26 de fevereiro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos