Corinthians prioriza disputa interna e deixa entrosamento em segundo plano

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

Qual o Corinthians titular? Tite afirma que, neste momento, não sabe responder a pergunta. A aposta é na competição interna que parece dar frutos. Foi assim, novamente, na última quarta-feira (24), apesar de uma exibição irregular em Sorocaba. 

O empate por 1 a 1 contra o São Bento foi alcançado com a contribuição do banco de reservas, que mudou o panorama do jogo em substituições feitas por Tite. O gol que evitou a derrota foi feito por André, que assim coloca pressão sobre o ainda titular Danilo. Tal qual Balbuena, que fez estreia elogiada pelo chefe, ou por Rodriguinho, que mais uma vez deu prova de sua importância em 2016. 

É esse tipo de disputa que Tite espera gerar ao deixar a equipe titular em aberto. Em Sorocaba, na quarta, foram nove modificações em relação ao time que jogou no último domingo, contra a Ferroviária. É muito provável que ele novamente faça várias alterações para pegar o Oeste na noite de sábado. O próximo jogo antecede a segunda rodada da Copa Libertadores, contra o Santa Fe-COL na quarta-feira. 

"A escalação está aberta. Palavra. Falei aos atletas que o campo é que fala na equipe em construção. Quem jogar bem, vou colocar", prometeu Tite. "Eles podem ficar bravos, chateados. Só me respeite tal qual eu respeito. Não abra mão de fazer treinamento com qualidade que vamos precisar no jogo", complementou.

Além da questão técnica, Tite também pensa na harmonia do vestiário e na competição entre os jogadores. Até o momento, ele dá prioridade aos que foram reservas da campanha do Brasileiro 2015 e ao mesmo tempo cobra mais dos contratados. Um detalhe importante é físico: Guilherme, André, Willians e até o pouco badalado Alan Mineiro estavam em desvantagem ao restante do elenco nesse quesito. Na volta das férias, o treinador fez elogios à forma como os remanescentes se reapresentaram. 

Nesse sentido, quem parece mais próximo de ganhar a posição e se manter na equipe é Giovanni Augusto. Ele fez três partidas pelo Atlético-MG, se apresentou em boa condição física e parece ser o reforço melhor integrado. Foi, ainda, aquele mais caro: custou R$ 15 milhões. Com a lesão de Elias e a oscilação de Romero nos últimos jogos, um espaço pode se abrir para que ele continue no time. Resta saber qual será a equipe. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos