CBF veta Brasília como casa do Fla. Presidente vê complô contra clube

Rodrigo Mattos e Vinícius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Gilvan de Souza/ Flamengo

    A CBF não autorizou o Flamengo a fixar base no estádio Mané Garrincha, em Brasília

    A CBF não autorizou o Flamengo a fixar base no estádio Mané Garrincha, em Brasília

O Flamengo teve uma péssima notícia na tarde desta sexta-feira (26). A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) vetou o pedido do clube para que Brasília fosse a casa rubro-negra no Campeonato Brasileiro. Sem contar com Maracanã e Engenhão por conta dos Jogos Olímpicos Rio-2016, o Rubro-negro vê no momento o planejamento inviabilizado para a principal competição da temporada.

O presidente Eduardo Bandeira de Mello tomou conhecimento da negativa na própria Capital Federal e não poupou críticas. Desapontado, o mandatário deixou claro que enxerga um complô da entidade máxima do futebol brasileiro e da Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) contra o Flamengo.

"Tínhamos os pareceres jurídicos e o aval técnico da CBF. A sinalização era absolutamente favorável. O secretário Walter Feldman e todos os diretores deixaram claro que era possível nos atender. Isso tudo já corre há alguns dias. Houve a pressão da Ferj. É algo extremamente negativo e que inviabiliza todo o planejamento", afirmou Bandeira ao UOL Esporte.

"Eles sabem que não existe estádio para jogar no Rio de Janeiro. Alegaram que qualquer partida fora do estado precisaria de autorização especial, além de pagarmos 10% para a federação. Fomos apunhalados pelas costas em cima da hora. Só prova que o Flamengo está incomodando e que CBF e Ferj atuam em conjunto", completou.

Sem poder fixar casa em Brasília, o Flamengo agora rediscute o planejamento no objetivo de atender ao técnico Muricy Ramalho e minimizar o desgaste do elenco com viagens. A situação foi avaliada como delicada pelo presidente. Não há prazo para um Plano B.

CBF nega e explica 'veto' ao Flamengo

Segundo o secretário-geral da CBF, Walter Feldman, o Flamengo tem todo o direito de jogar todos as partidas que quiser em Brasília. Para que isso ocorra, no entanto, o clube teria que negociar jogo a jogo por conta de especificações no regulamento geral.

"Não existiu um veto. O regulamento geral de competições diz que tem que haver uma concordância da federação e do time visitante. Não existe excepcionalidade pelos Jogos Olímpicos prevista no regulamento. O Flamengo fez um pedido de uma autorização permanente, mas isso não é possível pelo regulamento", disse Feldman. "A Ferj diz que o Flamengo pode pedir jogo a jogo a autorização, e tem que haver concordância do time visitante", completou o cartola.

A entidade também divulgou nota oficial sobre o assunto na noite desta sexta (26).

"Com relação à possibilidade de se estabelecer sedes alternativas para a Temporada 2016, a CBF esclarece que, em regra, o direito de escolha de estádios para exercer o mando de jogo deverá recair no limite territorial do estado em que a agremiação tem sede.

Casos excepcionais devem contar com a aprovação de todos os envolvidos, aí incluídas as federações local e anfitriã e o clube visitante.

À CBF cabe cumprir, rigorosamente, as regras e procedimentos contidos no RGC publicado em Dezembro/15 e disponível no site institucional desta entidade".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos