Luxação, infecção e fora do Paulista. Corintiano completa 6 meses sem jogar

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Ale Cabral/Folhapress

    Rildo não joga desde o dia 13 de setembro, quando lesionou o ombro esquerdo

    Rildo não joga desde o dia 13 de setembro, quando lesionou o ombro esquerdo

A partida entre Corinthians e Oeste, neste sábado, às 21h, em Itaquera será mais um capítulo de um dos momentos mais difíceis da carreira do atacante Rildo. 

Na sexta-feira, a comissão técnica corintiana deu a última vaga do elenco no Campeonato Paulista para Cristian e confirmou a ausência do jogador na primeira fase do torneio. Desde 13 de setembro, quando sofreu uma luxação no ombro esquerdo, ele não consegue jogar e tampouco treinar. Já são 21 jogos de inatividade, e ele ainda precisará esperar um pouco mais. 

Tudo começou com uma cirurgia para solucionar o problema no ombro. A estimativa era de 45 dias fora dos gramados, mas uma infecção atrasou os planos. Rildo voltou a ser operado para uma raspagem no local e fez pelo menos quatro exames de sangue desde então para ter certeza de que está livre da infecção. Aparentemente, sim, mas isso não significou a volta imediata ao futebol. 

Nos primeiros treinamentos com bola, Rildo sofreu uma contratura na panturrilha na última semana e precisou ser novamente afastado, agora por apenas mais sete dias. Para quem não joga desde setembro e não realizou pré-temporada com o elenco, significa estar apto a jogar apenas na segunda quinzena sem atuar. Serão seis meses no estaleiro por um problema no ombro. 

Nesse período, Rildo viu a realidade do Corinthians mudar. Adquirido sem custos no início do Brasileiro, ele chegou ao clube na sequência da eliminação na Copa Libertadores 2015 depois de fazer um ótimo Paulistão pela Ponte Preta. Depois de um bom segundo tempo contra o Palmeiras, ganhou a posição de Malcom e iniciou como titular pela primeira vez. Mas, em quatro minutos, sofreu a pior contusão de sua carreira no dia 13 de setembro contra o Joinville. 

Agora, Lucca se tornou titular, Romero ganhou espaço, Marlone chegou com expectativa e Giovanni Augusto também concorre por lugar em seu setor. Há duas chances de atuar antes do início do Campeonato Brasileiro: ser inscrito para as finais do Paulista ou jogar na Libertadores, em que está no grupo de 30 atletas, mas as oportunidades costumam ser mais escassas.

Para Rildo, corintiano do tipo que frequentava arquibancada na adolescência, a dificuldade tornou a frustração dobrada. Em janeiro, ele tinha acertado empréstimo à Turquia, mas não saiu justamente por conta da infecção inesperada no ombro. Agora, trabalha com duas expectativas: deixar os problemas para trás e contar com o senso de justiça que marca as decisões de Tite para ter uma nova chance. O contrato de empréstimo dele acaba em dezembro.  

O Corinthians enfrenta o Oeste neste sábado com: Matheus Vidotto; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique; Giovanni Augusto, Rodriguinho, Guilherme e Lucca; André. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos