Ex-atacante de Sport e Vasco morre aos 41 anos em Recife

Do UOL, em São Paulo

  • Otávio de Souza/Diário de Pernambuco

O ex-atacante Leonardo, de 41 anos, morreu nesta terça-feira (1º), às 15h15. O ex-jogador de Sport e Vasco lutava contra uma neurocisticercose no Hospital da Restauração, em Recife. Em seu site oficial, o Sport anunciou que o velório acontecerá na sede do clube e o presidente João Humberto Martorelli decretou luto de três dias.

Leonardo sentiu-se mal no dia 3 de janeiro, procurando uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na capital pernambucana. Desorientado, foi encaminhado no mesmo dia ao HR por uma equipe médica.

O ex-jogador deu entrada no hospital às 21h44 (22h44 de Brasília), onde passou por uma tomografia e por uma ressonância. Os exames constataram uma lesão cerebral expansiva, na região do lobo parietal esquerdo (parte superior traseira do crânio). Inicialmente, pensou-se em um diagnóstico de neurotoxoplasmose.

Nas redes sociais, o ex-meia Juninho Pernambucano lamentou a morte do amigo. Os dois jogaram no Sport em 1994 e foram juntos para o Vasco, em 1995. "Meus pêsames a toda família. Descanse em paz, Leonardo, e que Deus conforte todos os familiares e amigos nesse momento de enorme tristeza".

Nascido em Picos, no interior do Piauí, Leonardo é o terceiro maior artilheiro da história do Sport, com 133 gols em 367 jogos. O jogador teve passagens por Corinthians, Vasco e Palmeiras.

Ele encerrou sua carreira no Afogadense, clube modesto do sertão pernambucano, em 2012.

Em sua carreira no Sport, Leonardo conquistou sete títulos: duas Copas do Nordeste (1994 e 2000) e cinco Campeonatos Pernambucanos (1994, 1997, 1998, 1999 e 2000). O ex-atacante é um dos maiores campeões do clube – o goleiro Magrão é o líder, com oito taças.

Confira a declaração do Sport sobre Leonardo:

"O maior atacante da história do Sport Club do Recife, Leonardo Pereira da Silva, partiu na tarde desta terça-feira (01) aos 41 anos. Internado desde o dia 3 de fevereiro no Hospital da Restauração, o goleador, natural de Picos-PI, vai deixar grande saudade. Com autorização da família, o velório será realizado na Sede do Clube. O presidente João Humberto Martorelli decretou luto de três dias com bandeira a meio mastro. O Clube também se prepara para homenageá-lo na partida desta quinta-feira (03) na Ilha do Retiro.

Tem jogadores que fazem parte de quem somos sem se darem conta. São dribles, desarmes e dancinhas em frente aos defensores. São muitas alegrias. Mas Leonardo foi além. Leonardo transformou chutes em gols, dribles em arte e meras partidas em 6 a 0 e 5 a 2. Mesmo com a pouca altura - apenas 1,66m - ele era gigante. Foi o Terror da Ilha do Retiro. E também de marcadores e goleiros.

O melhor atacante do Sport, de tão destemido, tornou-se o terceiro maior artilheiro da história do Clube com 133 gols em 367 jogos. Como bom nordestino, fez o Nordeste se curvar duas vezes perante ele, em 1994 e em 2000. Pernambuco também reverenciou o piauiense em sete oportunidades: 1992, 1994, 1996, 1997, 1998, 1999 e 2000.

Rubro-negro de coração e alma, depois de sua aposentadoria, Leonardo voltou ao Sport. Desta vez como preparador técnico. Ele atuava junto às comissões de todas as categorias de base, ensinando a fazer o que sempre fez de melhor: se posicionar diante do gol.

 

Quem é rei, jamais perde a majestade. Leonardo, palavras e lágrimas não são suficientes. Lágrimas que um dia se emocionaram com teus gols, hoje descem com amargo saudosismo. O Sport teve a sorte de te ter, e nós tivemos a sorte de ser Sport. Obrigado por tudo".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos