'Novo Elias' vibra com ascensão e comenta namoro com irmã de zagueiro do SP

Dassler Marques e Juliana Alencar

Do UOL, em São Paulo

Destaque do Corinthians na Copa São Paulo deste ano, Maycon Andrade, 18 anos, não poderia imaginar um início de 2016 tão promissor. Depois de sofrer uma grave lesão no joelho em 2014, o volante, recém-saído da base, se mostra um pouco surpreso com a velocidade com que as coisas voltaram a dar certo para ele. 

Comparado por Tite a Elias, titular do elenco corintiano e jogador de seleção brasileira, o atleta tem sido uma das opções do treinador para substitui-lo enquanto ele se recupera de uma fissura na perna esquerda. Na quarta-feira, ele estará no banco da Arena Corinthians na partida contra o Santa Fe-COL, válida pela Copa Libertadores.
 
"É muito gratificante ser comparado ao Elias. Como o Tite diz, tenho as mesmas características dele", conta Maycon. "Tite prepara todos. Isso é importante. Tento mostrar com jogos e treinos que, caso ele opte por mim, darei conta do recado". 
 
O que parece um discurso ensaiado revela, na verdade, um garoto consciente de que esse é apenas um começo. E reverencia quem lhe inspirou. "Na minha estreia, o Elias não tava no banco, mas foi ao estádio e me falou: 'vai tranquilo que nós todos confiamos em você'.  Para um garoto de 18 anos, com 15 dias de treino, receber a força dele foi muito marcante".
 
A estreia no profissional foi na vitória por 2 a 1 contra o Capivariano, pelo Campeonato Paulista.  "Passa sempre um filme, uma realização de um sonho. Lutamos muito, tivemos muita dificuldade, foi uma alegria para todos. Entrar na Arena aquele dia é uma imagem que nunca vai sair da cabeça. Foi difícil dormir na véspera, mas tive que me manter concentrado. Fazer um bom jogo era muito importante. Foi legal para uma estreia".
 
Reprodução/Instagram
 
Jogador comprou apartamento para a família
 
Maycon é de família de corintianos. Filho único de uma ex-diarista e de um zelador, foi criado em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo. Até o ano passado, quando comprou o seu primeiro imóvel, vivia no apartamento de serviço do prédio onde o pai trabalha até hoje. Ao contrário da mãe, que agora se divide entre as tarefas de casa e a faculdade de pedagogia, ele não quis deixar a carreira.
 
O garoto se emociona ao lembrar das conquistas que o futebol já garantiu a ele e aos pais. É do apartamento comprado graças a seu futebol, a alguns metros do Parque São Jorge, onde treinava quando ainda atuava na base, que Maycon tenta explicar como se sente retribuindo a dedicação da família. 
 
"Minha mãe e meu pai sempre me ajudaram, me ajudam até hoje. Poder realizar um sonho deles de ter uma casa, viver bem...", diz,  sem conseguir finalizar a frase, com lágrimas no rosto. "A gente sempre tem sonhos e esse era um dos meus, dar um conforto melhor a minha família. Deus está abençoando e dando tudo certo".
 
Reprodução
 
Namoro com a irmã de Lyanco
 
Mas não é só aos pais a quem ele atribui esse momento especial. A namorada Lyarah, irmã do zagueiro do São Paulo Lyanco, tem, segundo ele, papel importante. O volante conta que conheceu a jovem pela internet depois de buscar informações sobre o futuro cunhado. 
 
"Muito difícil subir pro profissional se não tem ninguém do lado. Há muitas tentações, baladas, festas. E isso acaba atrapalhando muito. Tento me manter concentrado no jogo. A Lyarah, como tem irmão que é jogador, entende muito disso. Às vezes me dá puxão de orelha: 'vai dormir, tá tarde'. Para mim isso é importante", diz.
 
Volante diz já ser reconhecido
 
Fã de Toni Kross e Iniesta, Maycon diz admirar jogadores de "toque de bola, com passe, visão de jogo". E conta que é bastante autocrítico com o seu futebol. "Sempre tem que melhorar. Nos primeiros jogos eu senti um pouco de falta de me aproximar mais, encostar mais na bola. Melhorei um pouco. Estou chegando na área, defendendo, é um ponto positivo", compara. 
 
O pai tem papel importante nesse processo de aprimoramento. "Meu pai faz observações em casa. Ele sempre mandava eu treinar muito a perna direita. Tenho um tio, irmão dele, que joga muito futebol. E meu tio sempre chutava com as duas. Quando fiz o gol contra o Guarani, meu pai e meu tio falaram, 'treinou direito, hein?'."
 
Maycon conta que hoje já sente um pouco o reflexo de jogar no clube de maior torcida de São Paulo. E diz estar se preparando para caso venha se tornar grande no futebol. "Ídolo no futebol se constrói com títulos, vitórias, conquistas marcantes, gols marcantes. Até ano passado ia tranquilo a qualquer lugar. Hoje, poucas pessoas vêm tirar foto, daqui a pouco podem ser muitas. Sou um pouco mais tímido, mas estou me acostumando".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos