Relatório não encontra evidências de compra de votos na Copa de 2006

Do UOL, em São Paulo

  • Flávio Florido/UOL

    Beckenbauer é investigado

    Beckenbauer é investigado

Um relatório apresentado pela Freshfields, empresa britânica de auditoria, não encontrou evidências que comprovassem supostas compras de votos em relação a Copa de 2006.

Antes de apresentar o relatório, a empresa ouviu 31 pessoas. Ainda foram analisados 128 mil documentos eletrônicos.

Apesar disso, a Freshfields destacou que a compra de votos não pode ser descartada, pois boa parte dos documentos estão incompletos. Por exemplo, segundo o The Guardian, um documento chamado "Fifa 2000" foi retirado da Federação Alemã de Futebol e desapareceu.

O relatório confirmou a existência de "pagamentos pouco claros" feitos na conta de Wolfgang Niersbach, ex-presidente da Federação Alemã de Futebol, e Franz Beckenbauer, responsável pelo Comitê Organizador da Copa de 2016. 

Joseph Blatter, ex-presidente da Fifa, chegou a ser convocado para prestar esclarecimentos sobre o caso, mas se recusou.

A Freshfields é responsável pela investigação de diversos pagamentos milionários realizados para a Fifa.

A investigação começou devido a pagamentos suspeitos e cerca de 6,7 milhões de euros que foram feitos pelo Comitê Organizador da Copa do Mundo para a Fifa em 2005. Franz Beckenbauer era acusado de envolvimento em esquema de compra de votos na Fifa.

Em nota, a Fifa disse ter recebido o relatório e também informações da Federação Alemã de Futebol e irá seguir com a investigação sobre o pagamento.

A entidade ainda revelou a dificuldade para seguir com a investigação, pois testemunhas chave sobre o pagamento estão se recusando a falar.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos