Proximidade entre Tevez e líderes de organizada gera polêmica na Argentina

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

A revista argentina Veintitrés traz na capa de sua última edição uma imagem que mostra o atacante Carlos Tevez, do Boca Juniors, em uma confraternização com Rafael Di Zeo e Mauro Martín, líderes da torcida organizada La 12, uma das mais temidas da Argentina.

A dupla é apontada como responsável por ter transformado a La 12 em uma instituição criminosa, envolvida com tráfico de drogas, venda irregular de ingressos, propinas e episódios de violência nos estádios.

Di Zeo ficou preso entre 2007 e 2011 por porte de arma de fogo em uma briga contra torcedores do Chacarita Juniors na Bombonera.

Assim como Di Zeo, Martín já foi proibido pelas autoridades argentinas de acompanhar os jogos do Boca Juniors em estádios argentinos. Em janeiro de 2013, ele foi preso sob acusação de ter assassinado um vizinho de seu cunhado.

A revista classifica o episódio como um "escândalo" e destaca que, em meio à crise do Boca, "Carlitos se diverte fora e preocupa dentro dos campos". Segundo a publicação, a reunião com os chefes da organizada aconteceu antes do último Natal, após os títulos do Campeonato Argentino e da Copa da Argentina. O encontro foi realizado na casa de Facundo Caccia, empresário próximo a Di Zeo.

Adrián Ruocco, representante de Tevez, negou em entrevista à rádio La Red que o jogador tenha relações com a barra brava.

O Boca Juniors faz uma campanha irregular no Campeonato Argentino e ainda não venceu na atual edição da Copa Libertadores.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos