Conflitos com a diretoria unem mais atletas e comissão técnica no Santos

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Divulgação/SantosFC

    Dorival e R. Oliveira tiveram problemas com a diretoria do Santos recentemente

    Dorival e R. Oliveira tiveram problemas com a diretoria do Santos recentemente

A vitória no clássico contra o Corinthians serviu para mostrar que o elenco do Santos está "fechado". O UOL Esporte apurou que comissão técnica e jogadores ficaram mais unidos após os recentes embates com integrantes da diretoria alvinegra.

Os motivos para a insatisfação com a diretoria são muitos, mas o caso Ricardo Oliveira, que não foi liberado para atuar no futebol chinês mesmo pagando R$ 26 milhões do próprio bolso, os recentes atrasos de direitos de imagem e premiações, e a falta de consulta a Dorival Júnior em relação a contratações, são os principais fatos que desagradaram comissão técnica e atletas.

"O problema gera uma alteração, em qualquer um de nós, é normal, correria, negociação. Não é fácil. Isso interferiu diretamente no ambiente do elenco. Atletas gostam muito do Ricardo (Oliveira). Eles têm nele uma referência", afirmou Dorival Júnior.

Há jogadores no Santos que se recusam a conversar com alguns dirigentes e, inclusive, já iniciaram a campanha para demissão de um deles. Além de ser ignorado na contratação de reforços, Dorival também está irritado por saber que o "dirigente rejeitado pelos atletas" deseja trazer Vagner Mancini para o seu lugar.

Na reunião da semana passada, quando o presidente Modesto Roma foi dar satisfação sobre os vencimentos atrasados no CT Rei Pelé, o meia Elano representou o grupo em um discurso e cobrou forte a diretoria santista. 

O elenco santista questiona até o fato de o Santos ter vendido o atacante Geuvânio ao futebol chinês e, mesmo assim, não ter pago os direitos de imagem.

Com os mesmos desafetos, comissão técnica e atletas se uniram no Santos. O grupo está fechado em busca de resultados dentro de campo, mas não tem nenhum interesse em estreitar relacionamentos com os dirigentes.  

Por intermédio de sua assessoria de imprensa, o Santos enviou um comunicado sobre o assunto:

Sim, o Santos FC confirma que o elenco está fechado e sem aspas, como escrito em matéria desta quarta-feira (09) "Conflitos com a diretoria unem mais atletas e comissão técnica no Santos", fato que pode ser comprovado por todos profissionais da imprensa que comparecem todos os dias na cobertura do dia a dia do Clube.
 
Em nenhum momento teve embates com integrantes da diretoria, desta forma a união entre comissão técnica, jogadores e diretoria sempre ocorreu dentro da melhor sintonia possível. Como de conhecimento público, Modesto Roma Jr. e os responsáveis pelo futebol se falam quase que diariamente, inclusive, como já aconteceu na manhã de hoje, dia 09. 
 
Desta forma, a suposta insatisfação com a diretoria e o Superintendente de Esportes, por causa do caso Ricardo Oliveira (que não teve sua transferência concretizada para o futebol chinês) também não existe. O próprio atleta já se manifestou que trata-se de página virada e o foco está apenas em fazer o melhor pelo Santos FC, como sempre fez.
 
Sobre a falta de consulta ao técnico Dorival Júnior para contratação, o comandante santista já se posicionou sobre o assunto e deixou bem claro que não terá problema algum em trabalhar nesta situação, logo não existe insatisfação, mesmo admitindo que gostaria de ter sido consultado
 
"Isso não quer dizer que ele chegue aqui e eu vá tratá-lo de uma outra maneira. Muito pelo contrário. O caminho correto é esse (de consultar o técnico). Agora, tomaram outra posição. Quem manda no clube define a situação que deva acontecer. Não acontecendo não quer dizer que isso ai vai gerar um problema internamente", disse o treinador esclarecendo o assunto atendimento à imprensa no dia 19 de fevereiro.
 
Ou seja, apenas uma contratação chegou sem a sua indicação e não contratações como cita no texto erroneamente. Afinal, o zagueiro Luiz Felipe foi indicação do próprio treinador.
 
No encontro com os atletas na última semana, antes do clássico contra o Corinthians, o presidente Modesto Roma Jr. em nenhum momento foi cobrado pelos atletas, pois o mandatário santista foi dar sua palavra, como sempre fez e cumpriu, que os vencimentos, de apenas dez dias, e refentes aos direitos de imagem, e não salários, seriam pagos, como aconteceu na última sexta-feira (04).
 
Transparência e informação correta norteiam o Santos FC, por isso lamentamos a publicação de informações destorcidas, não verdadeiras e de forma generalizada. Afinal, o Clube por intermédio de seus profissionais sempre está e se coloca à disposição para atender a todos prontamente sobre qualquer questão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos