Ganso recusa proposta de renovação, e SP admite subir teto salarial

Guilherme Palenzuela

Do UOL, em São Paulo

Paulo Henrique Ganso e seu estafe recusaram a primeira proposta de renovação de contrato feita pelo São Paulo, há cerca de um mês. Com vínculo válido até setembro de 2017, Ganso recebe R$ 300 mil mensais e não tem o valor reajustado desde setembro de 2012, quando foi contratado. Segundo apurou o UOL Esporte, o São Paulo ofereceu valor próximo a R$ 400 mil mensais.

Procurado pela reportagem, o São Paulo admitiu a oferta e a recusa. O clube ainda diz que o valor ofertado é ligeiramente superior a R$ 400 mil mensais. A diretoria são-paulina continua negociando e agora reavalia o teto salarial e prepara nova proposta. Dentro da cúpula, admite-se subir o teto salarial atual e fazer de Ganso o atleta mais bem pago do elenco, mas quem comanda o futebol pondera que a evolução das negociações depende de o atleta mostrar desejo de permanecer.

O argumento do estafe de Ganso ao recusar a proposta de renovação é que a oferta de cerca de R$ 400 mil não representa um aumento salarial. Justifica-se que o valor oferecido cobre apenas o reajuste de acordo com a inflação entre o fim de 2012 e o início de 2016, e pouco além disso.

Ganso deseja ficar no São Paulo. O estafe do meia reconhece que o clube tem mantido conversas frequentes sobre a renovação contratual desde o início de ano. Diferentemente do que aconteceu no ano passado, atualmente o jogador não considera a hipótese de se transferir para os Estados Unidos ou para o Oriente para alcançar objetivos financeiros - em julho de 2015, o Orlando City, de Kaká, ofereceu R$ 800 mil mensais de salários ao meia. Agora o objetivo é seguir no Brasil ou se transferir para um clube grande da Europa para conquistar objetivos esportivos.

Até onde o São Paulo pode chegar?

Como não teve os vencimentos reajustados no São Paulo, Ganso se distanciou no teto salarial. Hoje Diego Lugano, Wesley, Michel Bastos, Alan Kardec e Jonathan Calleri recebem mais do que o camisa 10. Se aceitasse os R$ 400 mil propostos, porém, o meia alcançaria o teto.

A partir da recusa de Ganso à primeira oferta de renovação, o São Paulo intensificou as conversas internamente para saber até que patamar pode chegar na negociação com o meia. A diretoria do clube ressalta que tem um limite financeiro e também não poderá propor salário tão acima daqueles que hoje têm os maiores vencimentos do elenco. Com contrato até setembro de 2017, Ganso poderá assinar pré-contrato com outro clube em março do ano que vem para sair do São Paulo de graça se o vínculo não for renovado.

Aos 26 anos, Ganso vive em 2016 a melhor fase desde que saiu do Santos, no fim de 2012. Em 15 jogos, o meia tem seis gols marcados e duas assistências, marca que contabiliza participação em 50% dos 16 gols marcados pelo time na temporada. Nos últimos seis jogos, foram cinco gols marcados - nenhum outro atleta da equipe fez gols nas últimas cinco partidas.

Além do bom rendimento de Ganso em campo, o estafe do meia usa na negociação as propostas e sondagens recebidas de outros clubes nos últimos anos. Em junho de 2015 o Flamengo ofereceu R$ 10 milhões pelos 32% dos direitos econômicos do meia que pertencem ao São Paulo. Na mesma época, o Al-Ittihad, da Arábia Saudita, apresentou oferta de valor equivalente a R$ 9 milhões pela mesma parcela. Antes, o Napoli, da Itália, demonstrou interesse no jogador e acabou entrando em atrito com o então presidente Carlos Miguel Aidar. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos