Neymar e cia têm dia de barbearia na seleção. Teve até corte "veneno do Zé"

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

A noite de quarta-feira na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), onde a seleção brasileira está hospedada, foi dedicada à beleza. Neymar e praticamente todo o elenco receberam a visita de uma barbearia e aproveitaram para fazer o tradicional "barba, cabelo e bigode".

Com tendências europeias, já que a maioria atua no Velho Continente, os jogadores ousaram e fugiram do tradicional nas mãos dos profissionais da "Barbearia do Zé", convidada pelo meia Renato Augusto, cliente do local que possui filiais em bairros do Rio de Janeiro.

O volante Luiz Gustavo, do Wolfsburg (ALE), e o lateral direito Danilo, do Real Madrid (ESP), por exemplo, experimentaram o corte "veneno do Zé".

"Esse corte dá uma leve estilizada no cabelo. Dá uma amaciada e brilho", explicou Thiago Reis, um dos sócios da barbearia.

Sempre com cortes modernos, Neymar preferiu manter o estilo atual, embora tenha sofrido uma tentativa de mudança.

"O Neymar não quis mudar o corte. Manteve o que ele já tinha feito antes. Baixamos na lateral e demos uma aparada em cima. Cheguei a propor a ele: 'Vamos mudar geral, Neymar? Lançar um corte novo, do zero?'. Mas ele não quis (risos)", disse Thiago.

O responsável pelos cortes foi Everson "Perninha", que já tem o costume de aparar as madeixas dos elencos de Flamengo, Corinthians, Grêmio, entre outros. Foi pelas mãos dele que surgiu o estilo mais ousado.

"O Danilo já chegou mais ousado, queria uma linha não só na lateral, mas continuando até atrás. Da frente até a parte de trás da cabeça", destacou Reis, se referindo ao lateral direito que não se deu por satisfeito somente com o 'veneno do zé'.

O meia William, do Chelsea (ING), não quis nem chegar perto da tesoura. Cultivando seu "black power" por várias temporadas, ele se atraiu apenas por um utensílio que deixa seu cabelo ainda mais reluzente:

"O William a gente não cortou, porque ele falou que aquele cabelo dele é intocável e já usa há anos (risos). Só que ele se amarrou numa esponjinha que a gente tem que se chama 'magic black' (especial para cabelos black power). Ele olhava e fala: 'Caraca! Maneirão!'. Ele até levou a esponja para ele".

Arquivo Pessoal
William, do Chelsea, utilizou a esponja "magic black", especial para cabelos black power

Já o goleiro Alisson, do Internacional, arriscou uma ousadia em sua barba:

"O Alisson pediu para fazer barba modelada. Comentou que nunca tinha feito. Ele achou irado fazer barba na navalha. Fizemos também o graduado na lateral (o volume entre barba cabelo vai crescendo)".

Em ambiente descontraído, Thiago Reis destacou a humildade do atual elenco da seleção brasileira, que nesta sexta-feira enfrenta o Uruguai, em Recife (PE), pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

"Os caras entravam na barbearia e ficava todo mundo junto. Quem estava cortando, quem não estava... Ficavam sentados no chão, trocando ideia, rindo para caramba. Muito maneiro. O clima da resenha, dos bastidores, é bem legal. Todos muito humildes. Pareciam que eles eram nossos amigos de muitos anos", declarou.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos