Após Copa América, Neymar tem mais polêmica do que brilho com a seleção

Danilo Lavieri

Do UOL, em Recife (PE)

  • Lucas Figueiredo / MoWA Press

    Neymar acerta adversário em falta que levaria o amarelo contra o Uruguai

    Neymar acerta adversário em falta que levaria o amarelo contra o Uruguai

Não há como negar que Neymar é o jogador mais importante da seleção brasileira e, por consequência do país. Mas também fica cada vez mais difícil contestar que ele está longe de repetir, com a camisa da seleção brasileira, o futebol apresentado no Barcelona que o colocou entre os melhores do mundo.

O atacante teve queda vertiginosa de desempenho desde a suspensão sofrida na Copa América, quando reagiu às provocações dos colombianos com uma agressão e foi suspenso por quatro partidas. Na ocasião, optou por não ficar com o grupo no restante da competição e causou certa repercussão negativa em parte da torcida, que o via como líder e acreditava necessário que ele ficasse ao lado dos outros atletas até o fim da disputa.

Foi nesta competição, inclusive, que ele marcou seu último gol com a camisa da seleção em uma partida oficial. No dia 14 de junho de 2015, ele ajudou o país na sofrida vitória contra o Peru. De lá para cá, foram nove partidas (quatro ele ficou fora), com mais polêmica do que brilho. Gol apenas no amistoso contra os Estados Unidos, quando fez dois na vitória por 4 a 1.

Fora da partida contra o Paraguai por causa do amarelo sofrido contra o Uruguai, ele recebeu proteção de Dunga, que afirmou que ele sofre um pouco de perseguição da arbitragem. Ao não entrar em campo na terça-feira (29) em Assunção, ele completará 50% de ausência nas Eliminatórias. Ele entrou em campo contra Argentina, Peru e Uruguai, não fez nenhum gol e tomou dois cartões. 

"Eu queria que a arbitragem tivesse o mesmo rigor com ele que tem com as faltas que ele faz. Mas a gente precisa acostumar. Ele é o Neymar e tudo o que fizer vai tomar outra proporção", analisou o treinador.

Contra o Uruguai, Neymar foi o jogador que mais errou passes ao lado de Daniel Alves e Douglas Costa: sete. Foi o que mais errou finalizações: três. Foi o segundo que mais errou cruzamentos: três. Mas também foi o que mais acertou dribles: quatro.

Na seleção, busca-se uma explicação para a falta de qualidade apresentada pelo camisa 10. Jogadores como Douglas Costa e Willian já admitiram que jogam em função dele, por causa de sua boa qualidade. O próprio Neymar afirma que atua em um esquema diferente do que mostra no Barcelona, onde joga mais aberto do que centralizado, como precisa fazer na seleção.

Quando representa o país, apesar de ter só 24 anos, também precisa ser o líder técnico. Ele afirma que a pressão não o afeta. No Barcelona, divide as atenções com Luiz Suárez, Lionel Messi, Andrés Iniesta e outros.

"Vocês me pergutam isso (ser o jogador mais importante do grupo) há muito tempo. Isso não é um peso para mim e acho que em toda equipe um jogador sempre se destaca em relação aos outros, mas isso não adianta ficar só nas palavras", analisou o craque.

A próxima novela com Neymar já tem capítulo marcado. Barcelona e CBF conversam para que o jogador atue tanto na Copa América, em junho, quanto na Olimpíada, em agosto, no Rio de Janeiro, onde já tem sua participação encaminhada.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos